Desde o início do mês de março de 2014 a falha de segurança chamada de Heartbleed tem sido um dos principais assuntos comentados nos meios de comunicação focados em teor tecnológico. Entre as vítimas da falha estão grandes sites e uma variedade de dispositivos ao redor do mundo. Entre os que sofreram estão milhões de usuários de dispositivos Android.

A própria fabricante do sistema operacional móvel já havia alertado que os aparelhos que estavam rodando com base na versão 4.1.1 do sistema estavam sim vulneráveis a ataques do Heartbleed, que são capazes, entre outras coisas, de roubar senhas e acessar outras informações de caráter pessoal que estão contidas na memória do aparelho.

Recentemente uma empresa de análise forneceu ao jornal britânico The Guardian dados segundo os quais mais ou menos 50 milhões de dispositivos Android se encontram vulneráveis a invasão do Heartbleed.

Dos números levantados, cerca de 4 milhões estão apenas nos Estados Unidos. Mesmo assim, o Google não divulgou nenhum comunicado confirmando a informação. Entretanto, a empresa ressalta que o número de afetados ou possíveis vulneráveis seja “inferior a 10%” de todos os aparelhos que se encontram ativos ao redor do mundo.

Outra informação importante foi divulgada por pesquisadores da empresa de segurança Lookout Mobile, que fornece aos consumidores software antivírus para smartphones que tenham o Android. De acordo com o divulgado, algumas versões do Android 4.2.2 que chegaram a ser personalizadas pelas operadoras ou por alguns fabricantes de hardware também podem estar suscetíveis a falha de segurança.

Para não acabar ficando no prejuízo com os ataques dessa falha, é importante que os usuários de dispositivos móveis tomem alguns cuidados básicos importantes. Entre eles estar atendo aos comunicados divulgados pelas empresas a medida que os pontos vulneráveis sejam corrigidos.

Também é preciso alterar as senhas na hora certa. Ou seja, mude a mesma assim que receber a informação de que seu sistema está protegido. Quem altera antes pode até estar contribuindo e deixando sua senha mais fácil de ser acessada.

A empresa de segurança Lookout disponibiliza um app gratuito que indica que se seu sistema foi ou não afetado pelo bug. Para baixar o detector de Hearbleed clique aqui.

Por Denisson Soares


Parece que o iPhone 5S – um dos smartphones mais queridos dos entusiastas da tecnologia e aparelhos Apple – está apresentando mais problemas do que sua versão mais em conta, o iPhone 5C.

Uma pesquisa feita pela empresa de gestão de desempenho de aplicativos móveis, a Crittercism, indicou que os aplicativos falham duas vezes mais no super lançamento da Apple do que em sua versão barata. As informações são do Mashable.

iPhone 5S

Foto: Divulgação

A taxa de erro ainda é baixa, são 2% no total, porém o que levou à companhia a ter mais atenção em relação a esses problemas foram as inúmeras reclamações por meio das redes sociais, que os recém-compradores do topo de linha da marca fizeram em relação ao seu desempenho. Além da falha, o dispositivo apresentou uma tela azul, semelhante a do Windows quando detecta um problema.

Em relação aos aplicativos, o erro no momento do teste foi o seu fechamento forçado. Acredita-se que isso ocorreu devido à mudança no hardware do novo aparelho que, agora, é o chip A7 de 64 bits. Já sobre a tela azul, a pane ocorre quando há a utilização de aplicativos do pacote iWorks após o seu fechamento, feito pelo próprio usuário.

A fabricante garante que já está em busca das atualizações para correção das falhas.

Por Jaime Pargan





CONTINUE NAVEGANDO: