Apps ajudam usuários e acompanharem o consumo de dados de seus planos

Você utiliza as redes 3G ou 4G e fica preocupado com a sua franquia de dados. Muitos usuários não sabem se passaram ou não da franquia e ficam com medo do valor que será cobrado na fatura no final do mês, ou então, ter que comprar um novo plano.

Existem alguns aplicativos que vão ajudar a gerenciar esse consumo de dados ou desabilitar as redes para que gastos desnecessários não sejam feitos. Para poder acompanhar a utilização dos dados, você necessita apontar a franquia mensal e uma data para o começo da contagem. Desta maneira, o aplicativo vai conseguir apresentar o consumo da pessoa nos dados segundo o plano que foi contratado.

Os aplicativos:

My Data Manager – Ele é gratuito e se encontra disponível para as plataformas iOS e Android. Ele vai fazer uma estimativa frente ao seu consumo ao final do mês observando aquilo que já foi utilizado. O My Data Manger também possibilita um mapa dos locais em que você usou a rede

Opera Max – O aplicativo é bem completo em termos de informações sobre a utilização dos seus dados. Ele vai usar uma timeline que apresenta qual foi o consumo dos apps com detalhes de horário e dia. Na seção de cada aplicativo em questão, você poderá selecionar qual o programa que pode ou não fazer uso das redes, ou se o mesmo pode operar em segundo plano para maior economia.

Onavo Count – Com ele os usuários conseguem detalhar qual foi o consumo de dados por dia, semana ou mês. Há também a possibilidade de aferir o consumo em determinado período personalizado. Você consegue observar a utilização dos dados de aplicativos em primeiro plano (quando o usuário de fato está fazendo o uso do mesmo) ou em segundo plano (o programa utiliza os dados sem estar sendo exibido no display).

No Android ainda há possibilidade de verificar o consumo de dado com recurso nativo. Você poderá seguir em “Configurações” depois em “Uso de Dados”. Esse recurso do Android possibilita fazer diversas ações, como receber um alerta quando a franquia tiver quase sendo ultrapassada.

Para o Windows Phone, o usuário deverá abrir o Sensor de Dados e selecionar qual o limite desejado.

No caso dos usuários do sistema da Apple, o iOS, você deverá acessar a aba “Ajustes” depois em “Celular no iPhone” ou em “Dados Celulares” para iPad.

OSCAR ARIEL COLAÇO


Ligar para a Central de Atendimento de uma operadora de telefonia móvel para registrar um problema é algo tão desagradável que fez a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) mudar algumas regras no ano passado. Essa é uma maneira de reduzir os problemas e, assim, trabalhar para a qualidade do serviço. No entanto, dentro desse parâmetro, quem se deu mal foi a Claro. A empresa passou do limite do número de reclamações estipulado pela agência no segundo trimestre deste ano.

A pesquisa é basicamente colocar um número de reclamações para cada mil usuários. A Anatel permite no máximo 10 reclamações para essa quantidade de pessoas. Mesmo assim, a Claro conseguiu 31 reclamações. Uma diferença bastante significativa. Atrás da Claro, mas com o nível desejado, ficou a Vivo com 10. A Oi e a TIM ficaram com 9 e 6, respectivamente.

Sem surpresas, a Claro já tem sido alvo de más notícias desde o ano passado quando descobriram que a companhia ultrapassava os números após a lei de melhoria desses serviços ser colocada em vigor. O objetivo principal dessas análises é melhorar o desempenho das empresas de telefonia móvel no Brasil, que recebem inúmeros processos no Procon a cada ano.

O que acontece com a empresa quando ela não está bem posicionada é receber multa. Até o final deste ano, a Anatel realizará um mapeamento para ter uma média geral desses quesitos. Ao término da pesquisa, as multas serão aplicadas para cada uma delas. O valor é em torno de R$ 50 mil. Os comentários após o resultado são de que a Claro provavelmente será sancionada. 

A empresa não se posicionou quanto às afirmações da dificuldade de atendimento à demanda de seus clientes. A empresa, desde sua criação, não foi muito bem aceita na região Sudeste do país e até o momento anda com o número de adesão por seus produtos baixo nesta área do mapa.

Por Jaime Pargan

Claro

Foto: Divulgação


Vez ou outra já nos encontramos numa situação de ficar em espera do outro lado da linha, enquanto a pessoa com quem queremos falar está com seu telefone ocupado. Ou até mesmo fomos vitimas daquele toque desagradável e urgente dos telefones ocupados sem o serviço de espera.

Foi pensando nisso que a Apple desenvolveu um novo sistema que permite que o usuário verifique o status de um outro iPhone antes de realizar a chamada. A invenção ainda é nova, e só foi divulgada há uma semana pelo Patent and Trademark Office EUA.

Em essência, o funcionamento parece ser parecido com o sistema de troca de mensagens de texto já conhecidos em tantos programas de computador e aplicativos de celular, em que o usuário "posta" seu status e o exibe para seus contados, de forma que eles saibam se podem ou não se conectar com ele. Com o telefone será da mesma forma. Cada usuário envia informações de seu aparelho para os servidores da Apple, e o outro usuário, antes de realizar a chamada, poderá ver as condições do aparelho da outra pessoa, como por exemplo: bateria, em chamada, modo avião, zona com ausência de sinal e outras coisas mais.

Certamente ainda virão mais notícias e explicações mais conclusivas em breve. Portanto, resta-nos aguardar.

Por Fábio G. Santos


A China apresentou nesta sexta-feira, dia 28 de dezembro de 2012, normas que determinam um maior controle do estado comunista sobre o uso da internet no país.

De acordo com as novas regras, páginas da internet e mensagens que contenham informações consideradas ilegais serão excluídas e os envolvidos serão punidos.

Além disso, agora será exigido que todos aqueles que se inscrevam em um provedor informem o seu nome verdadeiro.

Estas medidas consistem, segundo o governo chinês, em uma maneira de evitar críticas e acusações feitas de forma anônima na internet além de evitar divulgações de conteúdos pornográficos e com informações sem fundamento sobre o país.

Por Ana Camila Neves Morais


A rede social de compartilhamento de fotos, o Instagram, está crescendo cada vez mais. Um reflexo deste crescimento é a possibilidade de atualizar ou criar um perfil nesta rede diretamente da web.

Com isso, o Instagram fica independente de smartphones com sistema operacional Android e Apple, sendo que a atualização já é oferecida para várias marcas de aparelhos.

Fonte: Vejário

Segundo a equipe da rede social, em breve mais novidades devem vir por aí para os seus usuários durante o ano de 2013.

Fonte: Tech Crunch

Por Ana Camila Neves Morais


O Instagram conseguiu quebrar recordes após ter sido lançado para a plataforma Android, atingindo cinco milhões de downloads em apenas seis dias. Agora, segundo Rakashith Krishnappa, criador do site Gramfeed (que é responsável por analisar o Instagram em suas diferentes plataformas pelo mundo todo), a ferramenta de modificação e compartilhamento de imagens acaba de atingir mais uma marca importante, pois chegou a 40 milhões de usuários ativos, número que com certeza mostra o rápido aumento de sua participação no mercado móvel.

Não foi revelada qual é a porcentagem de usuários com sistema Android que possuem o Instagram, mas mesmo assim é fato que, desde seu lançamento para a plataforma da Google, o aplicativo recebeu 10 milhões de usuários novos, número que contribuiu consideravelmente para a marca dos 40 milhões.

Já na Apple Store, a ferramenta ganhou grande popularidade, pois pela primeira fez o aplicativo para compartilhamento de fotos atingiu o primeiro lugar dos aplicativos gratuitos mais baixados.

Outro fato relevante, que colaborou para que o Instagram se mantivesse em grande destaque, foi a notícia de que o Facebook comprou a ferramenta por US$ 1 bilhão, o que criou mais expectativa em questão das funcionalidades do programa.

Por Guilherme Marcon


De acordo com uma pesquisa realizada pelo Leviathan Security Group, o sistema operacional Android possui problemas graves no que diz respeito às restrições no acesso às informações dos usuários.

Conforme o relatório divulgado, qualquer aplicativo que não possua permissões avançadas é capaz de acessar o conteúdo pessoal no cartão SD de um dispositivo móvel, além de transmitir as informações coletadas via internet.

Paul Brodeur realizou uma experiência e identificou que não é complicado coletar informações secretas de outros aplicativos. O teste foi feito com a criação de um programa chamado de “No Permissions”, o qual não solicitava, de forma alguma, qualquer permissão de funcionamento para o usuário, como se fosse um tipo simples de software.

O “No Permissions” tinha a função de acessar o conteúdo do cartão SD e verificar o conteúdo do arquivo “packages.list”, além de buscar dados de apps que possuíssem baixo nível de segurança. Através disso, foi possível identificar falhas que, além de permitir o acesso ao cartão SD, possibilitavam que fossem enviadas informações através do navegador do dispositivo móvel, tanto no Android 2.3 (Gingerbread) como no Android 4.0 (Ice Cream Sandwich).

Com os resultados dos testes, foi feito contato direto com o Google e a empresa afirmou que está estudando a adição de permissões nos aplicativos.

Por Guilherme Marcon


Recentemente foi notícia em diversos sites que muitos usuários estavam se aproveitando de uma brecha para conseguir um espaço extra de 23 GB no serviço Dropbox.

Os usuários estavam utilizando um hack que fazia com que seu telefone parecesse um determinado modelo que ganharia este espaço a mais em virtude de uma parceria. Mas parece que a festa de quem estava usando este procedimento terminou. O Dropbox está retirando o espaço extra dos usuários que utilizaram este tipo de hack nos seus telefones.

Para conseguir este espaço extra no serviço de armazenamento, os usuários instalavam um sistema hack que simulava que o telefone se passasse por uma versão de um HTC com Android. Os criadores foram membros de um dos fóruns de discussão de tecnologia mais utilizados na internet, o XDA. Mas o Dropbox está indo atrás de todos os usuários que fizeram isso e simplesmente fará um downgrade na conta dos mesmos.

Um dos membros da equipe de suporte do DropBox postou no mesmo fórum ressaltando que esta falha está sendo corrigida e que só terão direito ao espaço extra aqueles usuários que realmente compraram um smartphone HTC.


Usuários de iPhones e iPods Touch que têm aparelhos com sistema operacional antigo estão enfrentando problemas com a loja de aplicativos da Apple, a App Store.

Há centenas de reclamações no fórum da companhia norte-americana na internet, além dos clientes que estão alegando telefonar e mandar e-mails. Mesmo com toda a pressão da mídia internacional e dos usuários, a empresa não reconheceu que o problema existe e muito menos se mostrou disposta a resolvê-lo.

Os usuários que têm iOS 3 não conseguem realizar uma série de funções desde a atualização para a versão iOS 3.1.3, liberada na o último dia 16. Segundo o site de tecnologia Engadget, a própria atualização é a responsável pelo bug.

O principal dos problemas enfrentados pelos clientes da Apple é a impossibilidade de fazer download de qualquer aplicativo pela App Store. Tanto os programas gratuitos quanto os pagos não podem ser baixados. Além disso, também não é possível ver screenshots dos aplicativos nem classificá-los com notas.

Contudo, os aplicativos baixados antes da atualização podem ser atualizados normalmente. Enquanto a Apple não resolve o problema os usuários podem fazer downloads pelo computador utilizando o software do iTunes. Depois disso é possível transferir os apps para o smartphone ou iPod Touch.

Por Mozart Artmann


A Netflix, empresa responsável por um dos aplicativos mais populares do sistema operacional Android, de smartphones e tablets, passa por uma crise sem precedentes na história da companhia.

Após o aumento dos preços de alguns de seus serviços, que começou a ocorrer em junho, cerca de 800 mil usuáriosabandonaram o aplicativo. A debandada teve impacto na economia da empresa, pois suas ações já sofrem uma desvalorização que chega aos 35% na bolsa de valores nova-iorquina. Os papeis que antes eram negociados a 77 dólares agora são vendidos por 41 dólares. O preço tem caído mais a cada dia.

A companhia admitiu desde o início do aumento dos preços que esperava perder assinantes, mas calculava que o número máximo de pessoas que podia abandonar o serviço era de 600 mil. Embora a crise fosse previsível, a Netflix diz não estar certa do que fazer para encerrá-la e voltar a crescer. Uma das medidas tomadas pela empresa foi separar o serviço de vídeo por streaming do aluguel de DVD. A novidade se tornou um novo fracasso e, após constatar que os usuários estavam ainda mais insatisfeitos, voltou atrás e juntou as operações novamente.

Nos Estados Unidos a Netflix possui cerca de 23 milhões de assinantes. No Brasil o serviço chegou em setembro e custa R$ 14,90 mensais.

Por Mozart Artmann


Pela primeira vez smartphones com o sistema operacional Android ultrapassaram aqueles com o sistema IOS, de acordo com um relatório da comScore.

O relatório apresenta a cota de mercado do Android como de 28,7% em dezembro de 2010, ante 21,4% de setembro do mesmo ano. IOS, em comparação, também experimentou um salto para 25% em dezembro, mas foi ofuscado pela oferta do Google, fabricante do sistema operacional Android.

Entretanto, o sistema RIM ainda é líder com uma cota de 31,6%. Segundo  a comScore, o lançamento do iPhone pela Verizon (antes, nos EUA, era possível comprá-lo somente pela empresa de telecomunicações AT&T), deve abalar novamente estes números nos próximos meses.

Um estudo recente realizado pela empresa de pesquisas online uSamp constatou que quase metade dos atuais usuários de BlackBerry e sistema Android, entre 18 e 24 anos, pretendem mudar para o iPhone. Para os usuários com idade entre 25 a 34, essa porcentagem é de 34%. A pesquisa revela que 44% dos usuários de smartphones da Verizon, com sistema Android, estão “muito dispostos” a comprar um iPhone da empresa de telecomunicações. Utilizadores de smartphones com sistema RIM, no entanto, parecem ser menos fiéis à marca. 66% dos entrevistados dizem que pretendem mudar para iPhone.

Por A. Garcia

Fonte: comScore


Desde o lançamento do iPhone 4 a empresa Apple vinha tendo dor de cabeça com alguns problemas apresentados pelo aparelho. O Antennagate, problema de recepção do sinal da antena do modelo, era um deles. Porém, parece que tais adversidades não atrapalharam quando o assunto é a satisfação dos seus consumidores.

Uma pesquisa elaborada recentemente apontou que 72% dos usuários se mostraram “muito satisfeitos”, enquanto 21% afirmaram que estão “de alguma forma satisfeitos” com o iPhone 4.

Apesar de muito animador os dados apresentados, eles ainda são inferiores ao do modelo iPhone 3G S, que registrou 99% de satisfação de seus consumidores. A pesquisa ainda informou estatísticas sobre o número de ligações perdidas dentre os aparelhos iPhone 3G S e iPhone4 . O primeiro apresentou a porcentagem de 6,5%, enquanto o segundo revelou uma queda de 5,2%. A exclusividade com AT&T e a velocidade da rede foram pontos destacados como negativos.

Por Oscar Ariel

Fonte: Veja





CONTINUE NAVEGANDO: