Saiba como proteger seus livros digitais da Amazon, colocando uma senha para desbloqueio da tela inicial do Kindle.

O Kindle – leitor de livros digitais da Amazon – dá permissão para que o usuário faça definição de uma senha para desbloqueio da tela inicial. Essa é uma forma de fazer a proteção dos dados da biblioteca pessoal e também do acervo onde está presente todo o conteúdo de livros digitais da Amazon. Como já acontece em smartphones, o dono do aparelho precisa fazer a digitação do código para que acesso seja liberado. Esse recurso não vem ativado na configuração padrão, por isso, é preciso ativá-lo de forma manual.

Esse recurso é um tanto quanto importante, já que evita que o conteúdo do usuário seja acessado por qualquer um, como por exemplo, nas mãos de criminosos, em caso de roubo, ou de pessoas com más intenções, no caso de perda. Outro item dessa lista que deixa a função mais que útil, é o fato de impedir que crianças acessem o conteúdo do aparelho, tanto no caso de prevenir que comprem algo indesejado – na loja online que vem integrada ao aparelho – ou que visualizem um conteúdo impróprio para crianças.

Veja no tutorial a seguir, o passo a passo para inserção da senha na tela inicial de seu Kindle:

1. Faça a abertura do menu do Kindle. Para abrir esse menu, você deve clicar no botão com 3 pontos, presente na parte superior direita da tela. Na sequência, selecione a opção chamada “Configurações”.

2. No menu de configurações, haverá uma opção chamada “Opções do Dispositivo”. Ao tocar nessa opção, na sequência, selecione “Senha do dispositivo”.

3. Nesta etapa, é necessário definir uma senha para seu Kindle. A senha deve ser numérica. Ao escolher a senha de desbloqueio, preencha-a no campo vazio, repetindo-a, idêntica, no campo abaixo, para confirmar. Confirme clicando em “OK”.

Feito esse procedimento, o seu Kindle irá solicitar o código numérico cadastrado para desbloquear o acesso às bibliotecas e ao uso do aparelho.

No caso de haver o desejo se alterar ou remover a senha do Kindle, você deve repetir o procedimento de entrar nas configurações de senha. Em “Senha do dispositivo”, haverá a opção de desativar ou alterar. Basta confirmar a senha cadastrada para executar as duas operações.

Por Carolina B.

Kindle


Já faz um bom tempo que os rumores andam circulando a respeito do interesse e até mesmo de que a Amazon já estaria desenvolvendo seu próprio smartphone. Entretanto, o que chamou a atenção recentemente foi um relatório divulgado pelo jornal americano The Wall Street Journal. De acordo com a informação veiculada no jornal a Amazon estaria planejando lançar ainda em 2013 um smartphone que não teria custo nenhum para o consumidor, ou seja, inteiramente grátis. Mas, é claro que a empresa não tardou em desmentir o fato (ou a mentira).

De qualquer forma, de acordo com o jornal caso a Amazon fizesse tal lançamento seria basicamente com o objetivo de manter o smartphone integrado a serviços oferecidos pela empresa tais como o programa de fidelidade.

A notícia começou a circular recentemente e  não demorou muito para que o olho da concorrência fosse aberto tanto que rumores começaram a surgir a respeito de um smartphone também gratuito a ser lançado pela Kindle. Porém, como dito anteriormente a notícia foi desmentida por um porta-voz da Amazon no dia 8 deste mês que segundo suas próprias palavras: "Nós não temos planos de lançar um telefone este ano, e se tivermos que lançar um telefone no futuro, ele não seria gratuito".

Por Denisson Soares


Dando continuidade à expansão de sua loja de aplicativos, Amazon faz o anúncio de que os desenvolvedores poderão, nos próximos meses, passar a disponibilizar seus aplicativos para mais 200 países, dentre eles Brasil, Canadá, México, India, Africa do Sul, Corea do Sul.

A loja de aplicativos da Amazon foi lançada em 2011 e concorre diretamente com o Google Play, que comercializa além de aplicativos, livros e filmes.

Para demonstrar o sucesso de sua loja, a Amazon cita ainda em seu comunicado para a imprensa disponível em seu site, alguns desenvolvedores que obtiveram mais sucesso em suas vendas com a Amazon do que com o Google Play.

Os desenvolvedores que ainda não são cadastrados, podem se registrar através do portal de distribuição de aplicativos móveis da Amazon, e os desenvolvedores já cadastrados, optando por disponibilizar seus aplicativos internacionalmente, terão automaticamente os aplicativos disponibilizados para todos os países inclusos na estratégia.

Essa nova fase de expansão é uma continuação a recente chegada da loja de aplicativos a países como Japão, Espanha, França, Alemanha, Reino Unido e Itália.

Segundo Mike George, vice-presidente de aplicativos e games da empresa, a “Amazon é uma plataforma completa, de ponta a ponta, para desenvolvedores que desejam construir, comercializar e rentabilizar seus aplicativos e games, para Kindle Fire e dispositivos Android.”

Por Francine Cardoso de Araujo


A empresa Strategy Analytics, que realiza pesquisas de análise do mercado mundial, divulgou neste mês de dezembro que as vendas de smartphones 4G com padrão LTE serão três vezes maiores no ano de 2013 em todo o mundo.

Com isso, o total de aparelhos vendidos será de 275 milhões de unidades permitindo um aumento de escala e, consequentemente, a redução nos preços praticados e uma maior quantidade de opções para os consumidores.

Além disso, a Strategy Analytics estima que empresas como Mozilla e Amazon busquem tecnologias para entrar neste mercado competitivo dos smartphones 4G, mas esta entrada deve demorar mais tempo para ocorrer.

Por Ana Camila Neves Morais


Há pouco tempo surgiram rumores de que a Amazon estaria desenvolvendo seu primeiro smartphone, porém agora alguns depoimentos foram divulgados para confirmar as informações.

Conforme palavras de funcionários e fornecedores, a empresa entrará em fase de testes com seu smartphone Android e começará a produzi-lo em massa até o final deste ano, ou no máximo no início do ano que vem.

Após dominar o mercado de e-books com o Kindle, a Amazon lançou seu primeiro tablet chamado de Kindle Fire, também com sistema operacional Android. Os depoimentos feitos ao The Wall Street Journal indicam que o smartphone dará continuidade à parceria entre o Google e a Amazon.

O aparelho provavelmente se chamará Kindle Phone, na tentativa de manter o nome de sucesso do e-book e do tablet. Não foram divulgadas as características do novo celular inteligente, mas tudo indica que a sua tela terá mais ou menos quatro polegadas e o dispositivo será produzido pela Foxconn, a mesma empresa que produz o iPhone.

O preço do novo Kindle Phone será algo em torno de US$ 200, o que indica a vontade da Amazon de tomar uma fatia de mercado que a Apple e a Samsung não dominam, que é a dos preços mais baixos.

Por Guilherme Marcon


A nova loja de aplicativos Android da Amazon mal foi lançada e já é alvo de um processo. Segundo o site de tecnologia Engadget, a Apple teria pedido para a empresa mudar o nome da sua Android Appstore mais de uma vez, sem obter qualquer resposta. Por isso, o processo.

A Apple se considera dona da marca “App Store” e também briga na justiça com a Microsoft pelo mesmo motivo. Contra aqueles que acham que App Store é um termo comum demais para ser registrado como marca, a Apple alega que a Microsoft também não poderia registrar a palavra Windows (janela, em inglês).

Em relação à Amazon, há uma diferença. Esta parece ter usado de uma pequena malandragem ao unir as duas palavras App e Store e, talvez, fugir de uma ação judicial. Mas parece que a Apple não engoliu.

Por Maximiliano da Rosa





CONTINUE NAVEGANDO: