A consultoria Gartner divulgou nesta semana resultados interessantes de uma pesquisa sobre o sistema de pagamentos no futuro.

Segundo o estudo aproximadamente 33% das marcas de produtos existentes no mundo terão como opção realizar pagamentos por meio de dispositivos móveis – como tablets e smartphones – até o ano de 2015.

De acordo com o diretor de pesquisas da Gartner, Sandy Shen, nos próximos anos deve crescer a quantidade de aplicativos disponíveis para este tipo de aparelho que permitam o uso da função pagamento já que existem aqueles que possibilitam a compra e escolha de produtos por eles.

Esta tendência deve ser iniciada por setores como vestuário, bebida, supermercados, varejo e segmento de entretenimento.

Por Ana Camila Neves Morais


Mobile Financial Services (MFS) é o nome da nova empresa focada na criação de soluções para o setor de pagamentos via celular que surgiu como resultado da união da Telefônica/Vivo com a Mastercard International. Um dos objetivos da nova empresa é justamente atingir o público que não tem conta bancária.

Por questões de mercado ou não, fato é que a união dessas empresas foi divulgada pouco tempo após a Claro e o Bradesco terem se juntado para lançar serviços objetivando o mesmo mercado.

A Mobile Financial Services terá  como serviço fundamental a possibilidade de juntar transações via celular e um cartão pré-pago. O objetivo é que com isso saques e também compras no varejo possam ser realizadas, uma vez que o serviço deverá focar inicialmente movimentações financeiras envolvendo quantias relativamente pequenas.

De acordo com as informações divulgadas o cliente que quiser manter o serviço em pleno funcionamento deverá pagar um taxa de manutenção do mesmo. O valor, segundo o estipulado até agora, é que seja algo em torno de R$ 20,00.

Ambas as empresas envolvidas na criação desse projeto não divulgaram muitos detalhes a respeito do mesmo. Entretanto, apesar de ainda estar em fase de testes a previsão é de que o serviço já esteja em pleno funcionamento a partir de abril de 2013.

Por Denisson Soares


Bons presentes para o Natal, além de poderem ser adquiridos gratuitamente dependendo do plano escolhido, os celulares possuem vários modelos, desde os mais simples a um público despreocupado em gastar horas vasculhando funcionalidades, até aqueles com MP3 player, TV Digital e acesso a redes sociais.

A utilização varia de pessoa para pessoa. Possivelmente uma novidade recém-confirmada chamará atenção de muitas. De acordo com o Estadão, a instituição bancária Itaú, a credenciadora de lojistas Redecard, a bandeira Mastercard e a Vivo anunciaram o lançamento de um sistema que comporta pagamentos por meio de aparelhos celulares.

O início operacional (previsto para janeiro), o primeiro em todo o mundo, se dará em São José dos Campos, no interior de São Paulo. As últimas informações atestam que 30 mil clientes da região serão convidados para usufruírem a novidade.

Para efetivar o pagamento o cliente utilizará um aplicativo e criará, em seguida, uma senha particular. Quando uma compra for realizada será necessário acessar o software, digitar o código do comércio, o montante gasto e a senha do cartão. Assim como nas tradicionais máquinas, tem-se de especificar a operação entre débito ou crédito.

Por Luiz Felipe T. Erdei


A utilização do celular é diferenciada entre faixas etárias e também entre classes sociais. Jovens almejam aparelhos móveis para se comunicar com amigos, pretendentes e jogos Java, além de troca de mensagens instantâneas para fins diversos. Os adultos, por outro lado, fazem uso desse sistema de telefonia, geralmente, para contato com familiares, negócios e outros mais.

Logicamente, toda “regra” (empírica neste caso) tem sua exceção, mas praticamente todos almejam um só objetivo: menos gastos. Justamente no intuito de ajudar no controle de altas e desagradáveis despesas, a maior parte dos consumidores – exatamente 97,8% do total de pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) – querem ser avisados quando o plano de minutos 'estoura', ou está próximo disso.

De acordo com Guilherme Varella, advogado do Idec, os usuários de celulares ganhariam outro sistema de controle para que saibam, ao certo, quando gastam para, então, observarem mais precisamente cobranças indevidas. Em sua visão conforme matéria do Estadão, a medida seria importante, pois além de ser custoso aos bolsos dos consumidores, o setor é um dos que mais criticados nos órgãos de defesa.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Bom, quem tem Iphone não quer outro tipo de celular nesta vida. É de conhecimento público que quem possui Iphone até pode reclamar de um ou outro probleminha (constante) que ele possa vir a ter, como dificuldade ao fazer ligações ou falta de sinal por não possuir uma capa protetora, mas afinal quem se importa com esses pequenos detalhes, afinal, é um Iphone.

E se ainda procura adequar-se a alguns empecilhos a sua própria tecnologia por outro lado parece estar anos luz na frente da concorrência. Um bom exemplo do que eu falei é o último aplicativo descoberto para o smartphone da Apple; o Iphone agora realiza transação eletrônica como se fosse um token do Bradesco. Ou seja, o Iphone funciona como uma porta que possui uma senha secundária para ser utilizada em segunda instância, como uma segurança.

Para utilizar esse serviço é necessário baixar o download na App Store. O download é gratuito e o serviço pode ser utilizado, além do Iphone, também para outros aparelhos na Apple como Ipod e Ipad.

Agora aquela velha história de pagamento de conta pelo celular não é mais história ou lenda urbana, é uma realidade! 

Por Teresa Almeida


Ninguém duvida que os celulares já façam parte do cotidiano de bilhões de pessoas ao redor do mundo. No Brasil, o número de aparelhos per capta não para de crescer, pois já há quase um celular por habitante. Com um mercado aquecido, a nova aposta das empresas são os pagamentos móveis, também chamado de m-payment.

A empresa de consultoria Gartner realizou uma pesquisa global mostrando a penetração deste tipo de aparelho. Segundo a empresa, 108,6 milhões de pessoas devem usar o m-payment em 2010, uma alta de 54,5% em relação ao ano passado. Este número representa apenas 2,1% do total de usuários de celulares no mundo.

A Ásia e o Pacífico lideram o mercado de pagamentos móveis, com 62,8 milhões de usuários do sistema. Na América Latina, estima-se que haja 8 milhões de  usuários deste sistema de pagamento.

Por Camila Porto de Camargo

Fonte: Época Negócios


Enquanto muitos brasileiros fazem quase tudo pela internet, compram, vendem e pagam contas, quando o ambiente são os dispositivos móveis a maioria se diz desconfiada. É o que uma pesquisa realizada pelo Procon-SP revelou. 75,6% das pessoas entrevistadas pessoalmente disseram se sentir inseguras para realizar pagamentos via celular em sites de bancos ou compras online.

A pesquisa também foi feita via internet e, do total de respondentes, 66,2% dos internautas afirmaram ter um “pé atrás” quando usam o telefone. O fato de haver a transmissão de informações sigilosas e importantes por meio de um aparelho causa insegurança, segundo o Procon-SP. É provável que com o tempo esta ansiedade diminua, tal como foi com os pagamentos via internet. As empresas de telefonia contam com isso.

Por Camila Porto de Camargo

Fonte: Folha de São Paulo





CONTINUE NAVEGANDO: