Veja como encontrar e bloquear o IMEI do celular em casos de roubo.

O alto índice de roubos de celular no Brasil está aumentado a cada dia que passa. Em dezembro do ano passado era de aproximadamente 1,5 milhão o número de celulares que foram bloqueados e o nosso país é o segundo colocado com mais casos de furtos e roubos do mundo com uma taxa de 25%, só perde para a Índia com 35% dos casos.

Este número é dividido entre perdas, furtos ou roubos. As informações são fornecidas pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).

As notícias são de que o aumento em um ano é de 21% em relação aos anos anteriores. Mas afinal, se você perder o celular ou for roubado, sabe o que fazer para bloquear as suas informações e privacidade?

Se a sua resposta foi não, continue lendo este texto e descubra:

· O que fazer para bloquear

· Como identificar seu registro IMEI

· Como rastrear o celular pelo IMEI

O que fazer para bloquear

Se o seu celular for roubado, é possível bloqueá-lo para que ladrão não tenha acesso às suas informações. Essa atitude desestimula muitos bandidos na prática deste crime que por muitas vezes acaba até em tragédias.

Para você bloquear seu celular é preciso tomar algumas atitudes essenciais. O primeiro passo é identificar o IMEI do seu aparelho, em seguida fazer um registro de boletim de ocorrência na delegacia de polícia.

Existe uma pequena diferença no caso de perdas e furtos para roubos na hora de registrar seu boletim. Se você recebeu grave ameaça em um roubo como, por exemplo, ameaça de morte ou agressão, é importante se deslocar até a delegacia mais próxima do local do ocorrido.

Caso o seja apenas a perda ou furto, você pode registrar pela Delegacia Online e fazer um boletim de ocorrência digital. Se você residir no estado de São Paulo é possível acessando a Delegacia Online: http://www.ssp.sp.gov.br/nbo.

Cada estado tem sua forma de registrar suas ocorrências. Nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná existe o registro diretamente no site da Polícia Civil, procure no Google o site da polícia civil do seu estado.

O próximo passo para bloquear seu celular é acionando a sua operadora. As operadoras no Brasil são: Claro através do número “1052”, Tim com “1056 ou *144”, Oi com “1057 ou *144”, Vivo digite “1058 ou *8486” e finalizando a Nextel com o número “1050 ou direto pelo (11) 4004-6611”.

Como identificar seu registro IMEI

Para localizar o registro do IMEI do seu aparelho é muito fácil. Cada marca disponibiliza de uma forma diferente, no entanto, alguns locais são padrões como o verso da caixa do aparelho, o verso do próprio aparelho, o interior quando retirada a bateria ou o jeito mais fácil, digite: *#06#.

Após inserir esse número, o IMEI com o código de 15 dígitos aparecerá automaticamente na tela do seu smartphone. Caso não possuir a caixa ou o aparelho, ainda existe mais uma alternativa para quem possui sistema Android.

O Android é do Google e existem diversos aplicativos e ferramentas do Google que atrelam o seu IMEI e quando você acessar o Google Dashboard: https://myaccount.google.com/dashboard?hl=pt-BR será possível acompanhar e identificar os possíveis códigos do IMEI.

Como rastrear o celular pelo IMEI

Existem diversos aplicativos que conseguem localizar um celular perdido ou roubado. No entanto, nem sempre é possível encontrá-lo porque é preciso estar com algumas funcionalidades habilitadas como GPS, Dados e Wi-Fi, por exemplo.

Infelizmente, não é possível rastrear o aparelho pelo IMEI, apenas bloquear seu acesso a distância com auxílio das operadoras de telefonia móvel.

A solução atualmente no caso de furto ou roubo é tomar as providências do bloqueio do IMEI, efetuar o boletim de ocorrência e procurar um novo aparelho. Hoje nem sempre é indicado usar aplicativos espiões e passar os dados para a polícia para tentar recuperá-lo pelo perigo e risco de violência.

Por Marcio Ferraz

Bloquear celular roubado


Confira maneiras eficazes de como desbloquear um celular para poder usar chips de diversas operadoras.

Na atualidade quase ninguém vive sua vida prática sem um aparelho celular na mão. Mas, embora todo mundo precise de um telefone portátil, nem todos podem trocar de aparelho com frequência, pois nem sempre os melhores celulares são vendidos a preços acessíveis.

Muitos dos smartphones foram elaborados de modo a funcionar apenas sob uma operadora, do contrário, nenhum outro tipo de chip funcionará se for encaixado no aparelho. Porém, existe uma alternativa que permite o desbloqueio de telefones celulares. Neste texto será abordado um modo eficaz de realizar esse procedimento. Entretanto, assim que aprender a desbloquear um celular o usuário poderá inserir um chip de qualquer outra operadora, já que, embora muitas vendam aparelhos mais em conta, nem sempre criam um sistema flexível que permita a troca por qualquer tipo de chip. Essa situação dificulta muito a vida dos consumidores, que precisam de praticidade.

De acordo com informações oriundas do site oficial da Anatel, desde o ano de 2010 todas as operadoras têm o dever de manter desbloqueados os aparelhos celulares comercializados, sendo que essa flexibilidade deve estar disponível a todo o momento e de modo gratuito para todos os usuários. Deste modo os consumidores ficam livres para escolher chips de sua preferência, conforme a empresa em que mais confiam.

Em geral, qualquer pessoa que deseje desbloquear algum dispositivo de celular necessita entrar em contato com a operadora, para conseguir ter sucesso no procedimento, com frequência por meio de atendimento telefônico ou dirigindo-se até uma loja especializada. Mesmo assim, é comum que ainda muitas companhias mantenham certa dificuldade para que possam lucrar com isso. Portanto, os passos para realizar um eficaz desbloqueio de celular são os seguintes:

O primeiro procedimento necessário é o de acessar a página eletrônica e realizar o download de um aplicativo chamado WorldUnlock Code, o qual permitirá que o usuário faça o necessário desbloqueio de seu aparelho celular.

O passo seguinte é de instalar o programa em questão, depois de realizado o download é importante não se esquecer de estar com o código IMEI do celular em mãos.

O próximo passo é a utilização do mesmo código IMEI no celular. Se o usuário não souber como acessar esse código, não há motivo para aflição, pois o modo de fazê-lo surgir na tela é por meio da digitação do código indicativo de *#06# no próprio celular, depois é necessário selecionar o fabricante por meio do Menu, em seguida acessar o modelo de celular e, por fim, digitar o código IMEI que foi puxado pelo programa.

Existem diversos modos de realizar o procedimento conforme a operadora. Em caso de a operadora ser a Tim, serão três opções de procedimentos, ou seja: existe a TIM, a TIM NEW1 e também a TIM NEW2. Mas, qual delas deverá ser utilizada? Como saber? Para isso é necessário que o usuário verifique o chip de seu celular, conferindo nele um código numérico de padrão tal como 8955XX no qual o espaço XX estará indicando o código da rede de cada um. Uma pequena tabela esquemática ajudará a distinguir as áreas:

– O número 02 é correspondente ao setor nordeste, ao setor centro-oeste e ao sudeste, com exclusão do Estado de São Paulo;

– O número 03 é correspondente do próprio Estado de São Paulo;

– O número 04 é correspondente a toda região sul, ou seja, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, incluindo o Estado de Mato Grosso do Sul.

Prosseguindo, o usuário preenche todos os dados exigidos e aciona a função: Calculate. Para finalizar o processo de desbloqueio o usuário precisa desligar o telefone, desatrelar o chip da operadora utilizada, ligar novamente o aparelho e digitar os códigos fornecidos pelo programa.

Por Paulo Henrique dos Santos

Desbloquear celular


Maneiras práticas de como conectar o celular na TV.

O celular está presente na vida de quase todo mundo e é através dele que registramos fotos dos momentos especiais ou do dia a dia e também gravamos diversos vídeos. Depois, para ver as imagens é só usar o próprio aparelho, mas se quiser fazer reunido com a família ou amigos, é só conectar o celular na TV e assistir a tudo na telona.

O problema está aí, pois boa parte dos usuários não sabe como conectar o smartphone à televisão, mas é só ter um pouquinho de paciência, pois os métodos utilizados são bem mais fáceis do que há alguns anos atrás.

O Chromecast é uma forma de conectar o celular à TV e esta invenção do Google deixa o processo bem mais simples, mas sua televisão precisará ter uma entrada HDMI ou USB para que o aparelho possa ser conectado. O sinal de que tudo está funcionando aparece na barra de atalhos, ou então na parte superior do aplicativo que estiver usando e que for compatível com o Google Cast, assim é possível até mesmo assistir vídeo do YouTube, Spotify e muito mais.

Antes, porém, de testar esta ou qualquer outra alternativa, é importante lembrar que algumas SmarTvs já vem com tecnologia de ponta e não precisa de nada para realizar esta conexão. Você só precisa baixar o aplicativo indicado pela empresa fabricante da TV e utilizar uma conexão Wi-Fi para visualizar o conteúdo de seu smartphone na telona.

Também é possível conectar o smartphone à televisão utilizando um cabo HDMI. Claro que será preciso ter em mãos não só o cabo HDMI como também o adaptador para conectar na entrada de seu aparelho, para que ele possa assim, ficar 'ligado' à TV. Depois de conectar o celular à TV através do cabo HDMI, é preciso selecionar a fonte, pela tela da televisão, usando o botão 'Source', que pode ser também do desenho de uma seta e um quadro. Selecione HDMI e a TV mostrará seu smartphone.

Uma das formas mais utilizadas atualmente pelos usuários de smartphone, para conectar o aparelho à TV, é através do Wi-Fi, presente em muitas residências hoje em dia. Claro que o primeiro passo é verificar se a televisão se conecta à rede Wi-Fi, do contrário, não será possível prosseguir. Se a TV aceita Wi-Fi, então é hora de ir para o próximo passo e acessar no smartphone a opção de configurações para saber se ele tem a tecnologia que permite transmitir os dados. Se o celular contar com esta tecnologia, então ele começará a buscar os dispositivos conectados à rede Wi-Fi, até que encontrará a televisão, então é só deixa-lo reconhecer o aparelho e a partir daí, tudo que fizer no seu smartphone será exibido na TV.

Muitos aplicativos, como o YouTube, por exemplo, permitem a conexão automática entre TV e celular, é só procurar por um ícone que se parece com duas telas, ou então vem o desenho de um sinal Wi-Fi. Clicando nesta opção, a TV que tiver na rede será reconhecida e a conexão é feita rapidamente.

Mas em muitos casos a conexão não é tão fácil como aparece, pois vai depender muito da marca da TV e também do smartphone. Cada empresa faz a opção por uma tecnologia e os smartphones nem sempre facilitam este processo de espelhamento. Em alguns casos é preciso até mesmo entrar em contato com o suporte técnico da empresa fabricante da televisão ou do celular, para solicitar esta informação, de como conectar os dois aparelhos. A dica é ir tentando cada uma das alternativas e ver qual funciona para o seu caso e se nenhuma funcionar, aí a saída é recorrer ao suporte ou adquirir um cabo HDMI ou um Chromecast.

Por Russel

Conectar celular na TV


Confira o passo a passo de como baixar músicas no celular de maneira prática.

A música está presente no dia a dia das pessoas. Ao longo do tempo, dentro da tecnologia digital, diversos formatos de arquivos foram sendo criados para comportar músicas de todos os artistas possíveis, álbuns, shows. Na atualidade um aparelho smartphone tem capacidade para armazenar uma grande quantidade de dados, sobretudo dados sonoros. Entretanto, qual seria o melhor procedimento para realizar downloads de músicas em um smartphone?

Além de estarem sempre conectados nas redes Wi-Fi, os aparelhos celulares possuem diversos tipos de aplicativos que facilitam aos usuários baixar uma quantidade quase infinita de músicas, que cabem em uma única pasta de arquivos no aparelho. Geralmente é necessário instalar algum aplicativo específico para que os diversos formatos de dados de músicas sejam compartilhados. Entretanto, qual espécie de aplicativo? Qual o procedimento a ser seguido para baixar alguma música? Conforme as perguntas surgem e as dúvidas ficam suspensas, foi criado um tutorial de orientação, ou seja, um pequeno passo a passo no sentido de ensinar aos usuários o método mais prático de baixar música no celular.

Para iniciar o procedimento o usuário precisa acessar o aplicativo da PlayStore por meio do smartphone, sendo que a outra opção é a de baixar este mesmo aplicativo por meio do próprio navegador da PlayStore, e em seguida abrir este aplicativo pelo celular.

O segundo passo é o usuário digitar a busca, dentro da janela de pesquisa da PlayStore, pelo dispositivo chamado 4sharede Music, acessando depois o aplicativo. O site em questão, 4shared, pode ser acessado pela internet, tanto em computadores quanto em celulares.

O terceiro passo é o de clicar no link “Instalar“ na página do aplicativo 4Shared Music. Assim que o download do mesmo dispositivo estiver completo no smartphone, o usuário deve abrir o aplicativo.

O quarto passo é a criação de uma conta dentro do aplicativo para que seja possível acessá-lo. Entretanto, se o usuário já possuir uma conta no 4shared, que é um site criado apenas para downloads, será possível utilizar a mesma para acessar o aplicativo. Em caso contrário, é só criar uma conta clicando na janela “Registrar uma conta gratuita“;

O quinto passo é, após a abertura da conta, acessar a mesma voltando ao início, ou seja, à página inicial do mesmo aplicativo para clicar no link “Iniciar Sessão“. Depois disso, na tela a seguir, o usuário deve digitar os seus dados de conta e clicar novamente na janela “Iniciar Sessão“.

O sexto passo é, dentro da janela de pesquisa, procurar pelo título da música ou nome do artista que se deseja baixar. O símbolo da lupa, que está posicionado no topo da página do aplicativo, deve ser acessado para que a busca seja iniciada, já que quando se clica sobre ele é aberto o espaço para se digitar o tema da pesquisa. As músicas aparecerão listadas automaticamente assim que seus títulos forem reconhecidos. Serão arquivos de músicas, bastando clicar sobre eles para que a mesma toque.

O oitavo e último passo é o de realizar o download das músicas selecionadas. Basta clicar sobre o arquivo da música desejada por uma fração de três segundos, em seguida será aberta uma janela de opções, entre elas “download”. Clicando sobre o ícone de download a música será compartilhada nos arquivos do smartphone do usuário, fazendo parte de suas pastas.

Em realidade, todo esse procedimento é muito simples, sobretudo para quem está afeito à tecnologia, lidando com celular o dia todo. Para quem tem uma vida mais repleta de compromissos e deseja estar sempre embalado ao som de boas músicas, vale a pena seguir esse passo a passo. Para acessar as ilustrações deste tutorial acesse a página: www.comofazer.net/como-baixar-musica-no-celular.

Por Paulo Henrique dos Santos

Música no celular


Seguindo algumas dicas é possível ganhar mais capacidade para arquivar os seus conteúdos na nuvem no iCloud.

O iCloud é o sistema de armazenamento na nuvem, tendo sido desenvolvido pela Apple, caracterizando-se como uma plataforma segura e moderna. O serviço é disponibilizado no iPad, iPhone e iPod Touch, podendo ser configurado de maneira rápida e fácil. Assim como os demais sistemas, esse também possui um limite de armazenamento, sendo necessário gerenciar o espaço corretamente para guardar todos os seus arquivos.

Com algumas dicas simples é possível ganhar mais capacidade para arquivar os seus conteúdos na nuvem, ao configurá-la corretamente é possível ganhar 5GB.

Confira abaixo dicas do que você pode fazer para ganhar mais espaço de armazenamento no iCloud:

Verifique o espaço de armazenamento disponível

Para saber se você precisa de mais espaço de armazenamento no iCloud, primeiro é necessário verificar qual é a capacidade que você tem disponível no momento. Nesse caso, se você está usando o iOS 10.3 ou sucessor, é preciso acessar o botão ‘’Ajustes’’ no iCloud, depois selecionar ‘’Armazenamento do iCloud’’ ou na alternativa ‘’Gerenciar Armazenamento’’.

Se você está usando o iOS 10.2 ou anterior, você deve optar pela opção ‘’Ajustes’’. No Mac, precisa acessar o menu Apple, selecionando o item ‘’Preferências do Sistema’’, em seguida vá em ‘’iCloud’’ e em ‘’Gerenciar’’. No PC, basta ir no ‘’iCloud para Windows’’. Assim, você poderá descobrir o total de espaço que já foi usado e o quanto ainda está aberto para ser usado.

Dicas de gerenciamento

1. Organize os arquivos diretamente no iCloud.com

Por meio do site oficial do iCloud.com, o usuário pode acessar todos os seus conteúdos que foram arquivados na nuvem. Para entrar na plataforma, você só tem que fornecer o seu ID Apple e posteriormente navegar através das alternativas visualizadas na tela de ferramentas.

A partir daí, há a possibilidade de realizar o envio de fotos pelo computador, fazer a restauração de arquivos que haviam sido deletados, usar os apps Numbers, Pages e Keynote para elaborar planilhas, textos e apresentações.

2. Utilize o iCloud Drive

O iCloud Drive é a ferramenta que trabalha na sincronização dos arquivos e faz backups entre computadores e dispositivos da Apple. Esse serviço pode ser configurados no macOS ou em computadores com Windows.

Com esse sistema, você pode fazer o download, envio e excluir vídeos, fotos e documentos usando apenas o computador, sendo necessário estar conectado à internet. Pode-se gerenciar os tipos de arquivos que você quer armazenar na nuvem e checar o espaço ocupado por cada conteúdo. Feito isso, os arquivos serão mostrados em todos os dispositivos que o usuário acessar com iCloud.

3. Desative a Fototeca do iCloud

A Fototeca é o espaço do iCloud que possibilita que o usuário acesse os seus arquivos de imagem pelo celular ou computador. Ao sincronizar as fotos e vídeos, você pode economizar muitos gigabytes no seu dispositivo móvel e macOS, porém enche rapidamente o espaço disponível na nuvem. Desativando o compartilhamento de imagens, você evita que o sistema faça backup de arquivos automaticamente.

Para que isso aconteça, você deve acessar o iCloud Drive, e desativar a alternativa ‘’Fototeca do iCloud’’, que impede que as fotos do seu computador sejam guardadas na nuvem. Dessa forma, você está liberando espaço no celular e no sistema online.

4. Apague backups e arquivos

Apesar de ser muito eficiente para o usuário poupar espaço no celular, o iCloud pode ficar cheio em pouco tempo por conta dos aplicativos dos dispositivos ou sincronizações constantes de fotos. Para quem precisa liberar espaço, o ideal é identificar quais apps e dados que estão ocupando maior espaço de armazenamento e deletar os arquivos sem utilidade. Também é recomendado excluir os backups antigos, que são gerados automaticamente pelo sistema, computador ou celular, e desativar o backup do Whatsapp.

Se você tem arquivos muito importantes e não pode exclui-los, a melhor solução é mudar o plano do iCloud, optando por um com maior capacidade de armazenamento.

Por Simone Leal

iCloud


Aprenda a comprar pela internet sem correr riscos e com segurança.

Muitas pessoas preferem fazer compras pela a internet. São tantos sites e de diversos segmentos que fica difícil não realizar suas compras no conforto do seu lar e usando um computador. Mas, infelizmente, existem alguns riscos ao realizar as compras pela internet, e por isso o ideal é ficar ligado nas principais dicas para não cair em nenhum golpe.

Vamos conhecer as principais formas de segurança quando for comprar pela internet:

Escolha sites de confiança

Quando for realizar alguma compra na internet, prefira sites que já são conhecidos. Existem muitos sites com ótimos preços como o site das Lojas Americanas, Extra, Ponto Frio e muito mais.

Tome cuidado com promoções mirabolantes

Não caia em promoções mirabolantes de sites que nunca viu na sua vida. Muitas pessoas caem nesse tipo de golpe diariamente. A tentação é grande, porém, nunca acredite que um produto que normalmente é vendido por R$150,00 vai custar R$20,00 em outro site sem nenhum motivo aparente.

Procure ver todas as opções de contatos do site onde vai realizar sua compra

Muitos sites fraudulentos colocam informações de contato que não funcionam. Procure por sites que tenham diversas formas de contato como mais de 1 telefone, e-mail, chat online e até mesmo WhatsApp. É viável também testar algumas dessas opções de contato antes de realizar a sua compra e ver se realmente o atendimento está de acordo.

Veja se o site onde será realizada a compra tem CNPJ

O CNPJ é o registro da empresa ou site onde você vai realizar sua compra. Por isso é muito importante avaliar se esse CNPJ é verdadeiro e há quanto tempo ele está registrado. Se colocar o CNPJ no Google pode aparecer informações importantes sobre o mesmo, até mesmo informações negativas. Então vale a pena pesquisar.

Verifique se o site tem opções de pagamento seguro

Outra forma para evitar problemas ao realizar uma compra na internet, é verificar se o site tem opções de pagamento seguro como o Mercado Pago e o PagSeguro. Essas opções de pagamento são para dar total segurança para quem está comprando e em caso de algum problema a devolução do dinheiro é certa. Então escolha sites que tenham esse tipo de opção de pagamento.

Compre somente em site que tenha a segurança eletrônica

É bom sempre ficar atento se o site onde você vai realizar a compra possui a segurança eletrônica. O ideal é que o endereço dele comece com a sigla “http” e que também mostre no navegador o ícone em forma de cadeado. A última dica é clicar com o botão direito do mouse em cima do ícone de cadeado e ver se aparece o certificado de segurança do site.

Cuidado com os sites cópias

Existem muitos criminosos que montam sites parecidos com sites já conhecidos e seguros na internet. Normalmente o visual do site é quase igual ao site original, porém, sempre tem alguns detalhes que mostram que tem algo de errado.

Veja abaixo os três itens que você deve olhar com muito cuidado:

Nome do site

Normalmente o nome do site falso é bem parecido com o site original, só que sempre tem algum erro como nesse exemplo: (site verdadeiro) www.casasbahia.com.br, (site falso) www.casasbaia.com.br. Vale lembrar que isso é apenas um exemplo.

Valores de produtos com preços muito baixos

Fique atento quando os produtos de um site tiverem preços muito abaixo do normal. A não ser que seja uma promoção geral como o Black Friday. Fora isso desconfie e evite comprar nesse site, pois as chances de ter uma grande dor de cabeça são muita altas.

Fique de olho nas informações de entrega e frete

Normalmente os sites confiáveis sempre mostram todas as informações de entrega e de frete. Se for cobrada alguma taxa de frete pelo site, ela vai ficar bem aparente e com cor chamativa. Os sites fraudulentos normalmente cobram valores extras depois que é fechado o boleto ou não mostram as informações claramente. É bom ficar atento.

Siga essas dicas e faça suas compras pela internet de forma segura.

Por Cristiane Amaral

Comprar pela internet


Veja os modelos de smartphones mais indicados para quem gosta de jogos.

Só quem é amante de jogos sabe como é complicada a limitação de um smartphone para esse tipo de uso. Pensando nisso, vamos reunir aqui os melhores Smartphones para rodar jogos. Além disso, vamos falar dos modelos mais vendidos e com os melhores preços do mercado.

Samsung Galaxy S7

Podemos afirmar que esse é o smartphone ideal para quem gosta de jogar. Ele tem em sua configuração de 4 GB DE memória RAM. Sua tela de 5.1 polegadas com resolução de 2569 x 1440p são ideais para quem gosta de jogar de forma confortável, com boa visibilidade e sem travar a tela na hora do jogo. Tem processador Exynos 8 Octa-Core. Ele também conta com o recurso Game Tools que é capaz de silenciar a função de alerta na hora em que se está jogando, pode gravar seus jogos, ideal para quem gosta de postar suas partidas em vídeos em redes sociais e Youtuber e ainda organiza seus jogos, muito legal né.

Seu valor de mercado é de R$ 1.600,00. Pode ser até um valor alto em vista de variados modelos existentes, porém, esse aparelho não deixa a desejar em nada do que é prometido.

Samsung Galaxy S7

Samsung Galaxy S8 Plus

Se podemos citar um aparelho perfeito para jogar, o nome dele é Samsung Galaxy S8. Esse smartphone tem os melhores recursos para se jogar. A primeira coisa a ser falada desse maravilhoso smartphone é sua tela de 6.2 polegadas. Ela ainda oferece visualização infinita, o que possibilita a imersão em jogos com conteúdo multimídias. É muita modernidade em um único aparelho. Seu Android é o 7.0 que permite baixar diversos jogos com alta resolução e sem apresentar qualquer problema. No quesito desempenho o Samsung Galaxy S8 Plus também supera todas as expectativas, pois ele tem processador Octa-Core 2.3GHz. Eu ainda possuí memória RAM de 4GB.

Seu valor de mercado é de R$ 3.100,00 e esse pode ser o único fator negativo. Esse smartphone é para quem pode pagar e entender que ele é perfeito para quem gosta de passar horas jogando e ter uma boa funcionalidade. O Samsung Galaxy S8 possui todas as funções ideais para quem quer uma funcionalidade perfeita, e por isso seu valor de mercado é justificável.

Samsung Galaxy S8 Plus

Samsung Galaxy J7 Prime

Esse smartphone é bem procurado nas lojas, e uma das funções que ele exerce perfeitamente é a de jogos. Sua configuração avançada e design moderno, o tornam um smartphone de sucesso. Ele se encontra no ranking de mais desejados se avaliarmos o seu valor de mercado. Ele está na categoria melhor custo-benefício do mercado e por isso é tão desejado.

Com sua tela 5.5 ele também conquista por uma boa visibilidade na hora de jogar. A sua bateria também é ótima, com 3.300 mAh ela permite que o jogo tenho início, meio e fim sem aquele pequeno stress comum que muitos aparelhos apresentam. A bateria desse aparelho tem duração alta e também é um dos motivos que tornam o Samsung Galaxy J7 Prime tão amado.

Ele também tem 32GB de memória RAM e CPU Octa-Core que permite ultrapassar a velocidade da luz e permite a fluidez do sistema. Isso significa que o aparelho não vai travar na hora que estiver executando os jogos, mesmo que eles sejam de última geração.

Seu valor de mercado é bem interessante, se formos avaliar os valores dos aparelhos citados anteriormente. Seu valor médio é de R$ 930,00 e com uma boa pesquisa, é capaz de encontrar alguma loja em promoção.

Samsung Galaxy J7 Prime

Se você é amante de jogos e também é muito exigente, pode escolher entre essas 3 opções acima!

Por Cristiane Amaral


Algumas dicas de como recuperar fotos que foram excluídas dos smartphones.

Sabe quando você exclui fotos do smartphone para ter mais espaço e, no fim, bate aquele arrependimento? Não se desespere! Há diversos métodos e recursos que podem te ajudar a recuperá-las. Confira as possibilidades abaixo:

1º Utiliza um aplicativo da Google Play Store

Para ter de volta suas fotos, não é necessário possuir um dispositivo rooteado, considerando que há diversos aplicativos com esse objetivo, como é o caso do DigDeep Image Recovery, que roda nos dispositivos rooteados e nos que não são rooteados. Esta é uma das maneiras mais simples de retomar seus arquivos. Assim que você abre o aplicativo, ele já faz uma varredura para encontrar suas fotos apagadas e, no final, irá apresenta-las em uma pasta para que você selecione as que quer recuperar.

Além desse, também é possível baixar o DiskDigger recuperação fotos, que também roda nos aparelhos rooteados e nos não rooteados. Abra o aplicativo e clique em "Iniciar varredura básica de fotos". Após concluída a análise, escolha os arquivos você quer recuperar e clique no botão "Recuperar".

2º Utiliza um software para recuperação no Linux/Windows/Mac

Existem diversos softwares de recuperação disponíveis na internet, como, por exemplo, o EaseUS MobiSaver. Por meio dele é possível somente ver os dados, na versão gratuita, contudo, contudo para ter os arquivos de volta é necessário compra-lo, investindo US$ 39,95. Outra questão é que só funciona em smartphone rooteado.

Há outras ferramentas parecidas, como é o caso do RecoveryAndroid, que é de graça, além do FonePaw e do 7-Data Recovery.

3º Utilize o Google Fotos

No caso do Google Fotos, não é algo que auxiliará na recuperação de fotos apagadas caso você nunca o tenha utilizado antes, por essa razão é recomendado que mantenha um backup das fotos para utilizar futuramente. Se você tiver o "Backup & sync" ativo no Google Fotos, é possível restaurar os arquivos com facilidade. Se você utiliza o Google Fotos como um aplicativo de galeria primária, poderá clicar na "Lixeira" e escolher as imagens que quer restaurar.

Nos dispositivos rooteados, o processo para recuperar as fotos é sempre mais simples. Para que você não perca nada, a dica é utilizar o Google Fotos e fazer o backup de serviços de armazenamento em nuvem, como, por exemplo, o DropBox, o Google Drive e o BlackBlaze.

Por Iris Gonçalves

Foto celular


A ferramenta possibilita a marcação do texto em negrito, itálico e outras formatações. A função que entrega muita praticidade ao utilizar o WhatsApp surgiu primeiro na versão Beta.

Agora ficou mais simples a formatação de textos ao utilizar o WhatsApp. Para os usuários do Android 6 ou sistemas superiores está disponível o menu suspenso para que a formatação seja feita.

Outra importante facilidade é a função de tradução, a qual também estava presente na versão do WhatssApp Beta, pois com tal ferramenta não é mais necessário recorrer a abertura de outro aplicativo para escrever em outro idioma, o que tornará o processo mais leve e rápido.

Tutorial de passo a passo para utilização

  • Para a formatação de uma mensagem
  • Digite a mensagem, dê um duplo clique, movimente os “balões verdes” para selecionar o trecho a ser modificado
  • O menu flutuante aparecerá com 3 opções: recortar, copiar e colar. Com toque nos 3 pontos da lateral direita superior
  • O menu deve ser rolado até aparecer a opção de formatação escolhida. Além de tachado, negrito e itálico terá também a opção de “monoespaço” a qual se selecionada mudará o tamanho da fonte
  • Os caracteres especiais serão incluídos de forma automática e uma prévia do texto será apresentada. Ao tocar em enviar o processo estará finalizado
  • Traduções (sem a troca de janela)
  • Digite a mensagem desejada, normalmente em português, depois toque para selecioná-la
  • No menu suspenso acione as reticências e marque a opção “traduzir”
  • Escolha o idioma de origem e o de destino
  • Com a tradução já feita toque nos 3 pontos ao lado do idioma que preferir e após em “copiar”
  • Cole no local da anterior e proceda com o envio

As mudanças no aplicativo WhatsApp contribuem para a praticidade de utilização deste, que é uma excelente ferramenta de comunicação, tanto pessoal como profissional.

Utilizado no mundo todo e por milhares de pessoas, agora o aplicativo entrega a possibilidade de bem mais agilidade nos processos com a formatação e a tradução, sem necessitar trocar de tela para acionar outro aplicativo tradutor e só após todo o processo enviar a mensagem.

Por Silvano Andriotti

Whatsapp no Android


Saiba como proteger seus livros digitais da Amazon, colocando uma senha para desbloqueio da tela inicial do Kindle.

O Kindle – leitor de livros digitais da Amazon – dá permissão para que o usuário faça definição de uma senha para desbloqueio da tela inicial. Essa é uma forma de fazer a proteção dos dados da biblioteca pessoal e também do acervo onde está presente todo o conteúdo de livros digitais da Amazon. Como já acontece em smartphones, o dono do aparelho precisa fazer a digitação do código para que acesso seja liberado. Esse recurso não vem ativado na configuração padrão, por isso, é preciso ativá-lo de forma manual.

Esse recurso é um tanto quanto importante, já que evita que o conteúdo do usuário seja acessado por qualquer um, como por exemplo, nas mãos de criminosos, em caso de roubo, ou de pessoas com más intenções, no caso de perda. Outro item dessa lista que deixa a função mais que útil, é o fato de impedir que crianças acessem o conteúdo do aparelho, tanto no caso de prevenir que comprem algo indesejado – na loja online que vem integrada ao aparelho – ou que visualizem um conteúdo impróprio para crianças.

Veja no tutorial a seguir, o passo a passo para inserção da senha na tela inicial de seu Kindle:

1. Faça a abertura do menu do Kindle. Para abrir esse menu, você deve clicar no botão com 3 pontos, presente na parte superior direita da tela. Na sequência, selecione a opção chamada “Configurações”.

2. No menu de configurações, haverá uma opção chamada “Opções do Dispositivo”. Ao tocar nessa opção, na sequência, selecione “Senha do dispositivo”.

3. Nesta etapa, é necessário definir uma senha para seu Kindle. A senha deve ser numérica. Ao escolher a senha de desbloqueio, preencha-a no campo vazio, repetindo-a, idêntica, no campo abaixo, para confirmar. Confirme clicando em “OK”.

Feito esse procedimento, o seu Kindle irá solicitar o código numérico cadastrado para desbloquear o acesso às bibliotecas e ao uso do aparelho.

No caso de haver o desejo se alterar ou remover a senha do Kindle, você deve repetir o procedimento de entrar nas configurações de senha. Em “Senha do dispositivo”, haverá a opção de desativar ou alterar. Basta confirmar a senha cadastrada para executar as duas operações.

Por Carolina B.

Kindle


Confira o passo a passo para cadastrar a impressão digital no LG G6.

Perfeito, moderno e com um preço agradável, o LG G6, um dos smartphones Android mais avançados e completos em circulação, é o mais novo lançamento da LG para o ano de 2017. E acredite, ele tem chamado bastante atenção. Como se sabe, o aparelho conta com um leitor biométrico que favorece, é claro, o dono do celular quando o assunto é privacidade.

Para quem ainda não sabe, a novidade da marca está presente sob o botão Home, localizado na traseira do telefone, que tem uma resolução de 2880×1440 pixel e um grande display de 5.7 polegadas. É importante ressaltar que a resolução do LG G6 é uma das mais altas atualmente.

Quem possui o telefone e deseja cadastrar a impressão digital, vamos entregar algumas informações básicas. Vale lembrar que o LG G6 aceita mais de uma digital, podendo assim selecionar várias pessoas de confiança para ter acesso ao seu smartphone. O cadastro para registrar a digital deve ser realizado, de início, nas configurações do celular.

Confira o passo a passo!

Passo a passo de como cadastrar a impressão digital no LG G6:

Depois de ter acessado as configurações do aparelho, procure pelo item ''ajustes''. Logo em seguida, clique sobre a aba ''Geral''. Feito isso, agora procure pela opção ''impressões digitais e segurança''. Encontrou? Agora toque sobre o item. Após o toque, selecione apenas a opção ''impressões digitais''.

Para encerrar esse pequeno passo a passo, que além de simples é fácil de ser compreendido, chegou o momento de acrescentar o PIN. Coloque a numeração cadastrada e aguarde as instruções que irão surgir. Então, de olho na tela, o aparelho irá pedir para posicionar o dedo sobre o leitor. Lembre-se que o leitor está localizado na traseira do celular.

E então, cadastrei minha digital? O processo só é concluído após um aviso aparecer na tela. Por isso, coloque e retire o dedo até aparecer o comunicado. Após aparecer que sua impressão digital foi adicionada, basta clicar em Ok. Agora sim, a sua biometria foi concluída.

Feito todo o processo, o seu LG G6, que conta com uma câmera de 13 megapixels, que por sua vez consegue tirar fotos com uma resolução de 4160×3120 pixels, além de gravar vídeos em 4K, está apto para proteger suas fotos, conversas e demais informações.

Por Fábio Santos

Impressao digital no LG G6


Saiba aqui como descobrir o IMEI do seu celular Android ou iPhone.

Você sabia que cada aparelho celular possui um código exclusivo que o identifica? Para você entender melhor, é como uma impressão digital do telefone com suas características. Esse número é o chamado IMEI, sigla que vem do inglês "International Mobile Equipment Identity", cuja tradução para o português é “Identificação Internacional de Equipamento Móvel”. Veja aqui como você pode observar esse número em seu smartphone, seja no iPhone ou no Android.

Uma das formas de verificar o código é na caixa original do seu dispositivo móvel. Normalmente, o IMEI fica na etiqueta em que consta com o código de barras da mercadoria.

Caso você não tenha mais a embalagem do produto, outra forma de checar o número do IMEI é na bateria do celular. Primeiramente você deve desligar o aparelho telefônico e em seguida remover a tampa traseira. Geralmente a numeração está impressa em uma etiqueta adesiva junto à bateria.

Outra maneira de você saber qual o IMEI de seu smartphone é inserindo um código universal. Você deve abrir o discador do telefone e em seguida digitar no teclado *#06#. Depois disso, o visor de seu celular vai mostrar automaticamente o IMEI.

Mais uma opção é pelas configurações do dispositivo. Quem possui iPhone deve clicar nas configurações, em seguida selecionar a tecla "geral" e depois "sobre". Desça a barra de rolagem e vá até o número do IMEI.

Aqueles que possuem sistema Android em seu celular, devem escolher a opção "sobre o telefone" dentro das configurações. Após isso, clique em "status" e vá até a opção IMEI.

Se seu telefone foi fabricado pela Motorola, o passo a seguir é: 1) digitar #*menu e seta para a direita. 2) ir até ID IMEI/SIM e clicar em enter. Depois desse procedimento, o número vai surgir na tela do celular. O último dígito é sempre o zero.

O código do IMEI é útil para identificar o celular e auxilia os fabricantes e as operadoras telefônicas na verificação dos atributos do smartphone. Essa numeração compõe um banco de dados com todos os dispositivos móveis ativos. Em casos de roubo ou perda do aparelho, esse número ajuda na resolução de casos, pois informando a sequência numérica para a operadora é possível bloquear o celular, tornando-o sem utilidade.

Melisse V.


Saiba aqui por que o celular acaba desligando mesmo ainda tendo um pouco de bateria.

Todo mundo já se viu diante da situação de estar nos últimos dígitos da bateria do celular, computador ou tablet. Quando se chega a esse ponto tentamos preservar o máximo possível até que possamos recarregar o dispositivo novamente. Mas não é que mesmo com um pouco de carga o aparelho desliga de uma hora para outra e só volta a ligar se o conectarmos a uma fonte de energia? Pois é, isso acontece com qualquer um. Porém, ao contrário do que alguns acham não se trata de um problema. Os dispositivos desligam mesmo contendo um “restinho” de carga devido a um comportamento completamente normal de seus componentes.

O motivo para que isso ocorra (segundo especialistas na área) é o fato de que os aparelhos acabam não tendo capacidade de analisar com precisão o quanto ainda resta de bateria. Isso quer dizer que os números que são vistos nem sempre representam com exatidão o quanto de carga ainda temos e sim uma estimativa feita pelo sistema operacional que, como sabemos, são baseados em algoritmos.

Para que fosse possível precisarmos com certeza o quanto ainda temos (de bateria) seria necessário que tivéssemos um sensor instalado no interior das células. O problema é que considerando os elementos químicos necessários para tudo isso mais os componentes elétricos misturados seria o mesmo que andar com uma espécie de bomba no bolso. Então, o melhor mesmo é ter o celular desligado do que ter ele explodindo…

Ainda existe uma outra razão para que o celular desligue. Com o tempo as baterias naturalmente acabam perdendo parte de sua autonomia. De acordo com o jeito como o usuário usa seu aparelho e até da quantidade de recargas que faz, ela perde sua vida útil. Em contrapartida, os algoritmos dos sistemas operacionais entram em atividade para compensar essa situação. O problema é que quanto mais o tempo passa, mas difícil fica para fazer a medição. Por isso temos a impressão de que quanto mais velho é o celular menos tempo ele fica ligado.

Por fim, guardar um pingo de carga é preciso para que o SO continue trabalhando. Sendo assim, ele mantém atualizados coisas como os sistemas de inicialização funcionais, elementos internos a exemplo do relógio, etc., mas isso é mais comum em tablets e notebooks, o que não deixa os celulares de fora.

E só para fechar, com uma bateria zerada por completo, os dispositivos basicamente não conseguiriam religar de novo, isso porque até para recargar é preciso que o software funcione nem que seja em seu “último fôlego”.

Por Denisson Soares


Há algumas maneiras de desativar o sinal azul que aparece quando visualiza uma mensagem no WhatsApp.

Muitas brigas de internet se dão quando alguém lê uma mensagem no aplicativo WhatsApp e não responde. A pessoa sabe que você leu (os dois sinais azuis) e reclama pelo fato de não ser respondido.

O fato é que os usuários podem simplesmente não responder no momento ou não querem mesmo continuar com a conversa em questão. Mas há uma maneira para que esses sinais azuis não apareçam e você possa responder ou não sem que a pessoa saiba que você observou a mensagem.

A primeira dica é desativar a confirmação da leitura da mensagem. Para isso, você deve abrir o aplicativo do WhatsApp e ir em “Conta” depois em “Privacidade Recibos de Leitura”. Essa opção deverá ser desmarcada. Quando desmarcada, essa função também não poderá ver se os outros contatos leram suas mensagens. É um “jogo” duplo. Esse passo poderá ser realizado para dispositivos com iOS ou Android.

O Modo Avião é também uma maneira para driblar os sinais azuis, mas com pessoas específicas e em determinados momentos. Quando você recebe a notificação de uma mensagem, mas não quer que a pessoa saiba que leu, você deverá ativar o Modo Avião antes de abrir a mesma. Quando o Modo Avião é ativado, a conexão de dados e Wi-Fi é interrompida.

Após ler a mensagem, é necessário fechar o app para que a notificação dos sinais azuis não apareça. Para fechar o aplicativo, aperte duas vezes o botão Home e, com isso, vai aparecer todos os recursos abertos.

Para Android, os aparelhos com esse sistema contam com um widget que, no momento que é ativado, possibilita ler as mensagens do WhatsApp em uma janela de pop-up, que se assemelha muito às notificações.

Para colocar esse widget em prática, você deverá pressionar em uma área que esteja limpa da tela inicial do celular e selecionar Widgets.  Depois, você encontrará uma lista com apps e depois de encontrar o WhatsApp, deverá tocar no mesmo e arrastar para a tela em questão.

Com essa opção, você poderá responder as mensagens de outras pessoas e ignorar outras que não pretende conversar. Um lado negativo deste wigdet é que o mesmo não possibilita a leitura de emojis, fotos ou vídeos. Você somente lerá os textos. Caso não consiga ativar o recurso, verifique se Habilitar Wigdets se encontra ativo nas configurações do seu smartphone. 

Sinal azul do WhatsApp


Todos sabemos que os celulares mais populares vêm ganhando cada vez mais espaço para as versões chamadas "fake".

Os aparelhos fakes ou falsiê estão cada vez mais parecidos com os originais e há relatos de que eles podem durar até um ano ou mais. O fake do modelo Galaxy S3 mini vem sendo comercializado no mercado negro por menos de duzentos reais e é necessário saber diferenciá-los para não cair em uma possível roubada.

Algumas dicas são muito úteis e servem para testar a originalidade de qualquer dispositivo que rode o sistema operacional Android. O primeiro passo é acessar as informações de fábrica do dispositivo que pode ser localizado em configurações. Em número do modelo (para o Galaxy S3 Mini, no caso) deve ter a descrição GT–I8190 e a versão Android deve constar 4.1.2, referindo se a mais atual. Desconfie se a versão apresentada for 2.2). Outro detalhe interessante é que os basebands (ou banda de base) originais sempre começam com 18190. O selo da Anatel também é batata: um aparelho fake jamais terá a aprovação da Agência Nacional de Telecomunicações. Ao abrir a tampa na parte de trás o selo poderá ser localizado na bateria. Importante lembrar que esta regrinha básica não vale para os aparelhos comprados em outros países, que podem ser originais, mas obviamente não terão o selo do órgão brasileiro.

O Samsung APPS é outra maneira infalível de verificar se o aparelho é mesmo um Samsung S3 Mini original. Para funcionar devidamente deve ser usado um gadget oficial da fabricante. Além do Samsung Galaxy S3 Mini, outro modelo muito falsificado é o iPhone com o ousado e muito conhecido HiPhone.

Outros detalhes podem distinguir facilmente um aparelho original de um aparelho fake como a aparência do material a qual foi produzido, tela com resolução estranha (geralmente com muito brilho ou opaca demais) e até mesmo uma notável fragilidade sentida no touch.   

Por Luciana Ávila

Smartphones

Foto: Divulgação


Há muitos de que ainda mantêm a dúvida entre escolher um smartphone ou um tablet,  embora os menos conhecedores da tecnologia ainda tenham dúvida se precisa de ambos ou apenas um.

Felizmente estamos à disposição para ajudá-lo a tomar essa decisão, quer se trate de adquirir o seu primeiro dispositivo ou talvez atualizar-se com as novas tecnologias disponíveis no mercado.

Há inúmeras coisas a considerar quando se trata de escolher entre um telefone ou um tablet, mas as questões-chave que você precisa perguntar a si mesmo são: como o aparelho vai ser usado e para que, o quanto você pretende gastar e quão importante é o tamanho da tela para sua navegação.

A maior diferença em telefones e tablets é, obviamente, o tamanho da tela. Esta distinção é cada vez mais desconsiderada quando citamos os smartphones supersized que começam a invadir o mercado de tablets de 7 polegadas.

Procurando o melhor dos dois mundos? Então você pode querer verificar os novos modelos de  6,44 polegadas, como o  Sony Xperia Z Ultra ou o Nokia Lumia 1520 de 6 polegadas,há até mesmo o Asus FonePad de 7 polegadas.

Os telefones são os melhores dispositivos de mensagens, por isso, se você realiza envio de uma grande quantidade de textos,  ou precisa verificar constantemente seu e-mail ou passar horas em serviços de mensagens instantâneas, você pode ter mais sucesso na escolha de um smartphone. Os Tablets são capazes de gerenciar e-mails, bem como executar alguns serviços de mensagens instantâneas, mas os telefones no geral oferecem melhor desempenho para estas atividades.

Para os que amam tirar fotos, muito provavelmente seu novo dispositivo móvel também seja os smartphones, pois comportam câmeras melhores do que os tablets, sendo também muito mais fácil de transportar.

Tablets moram em sua fantasia? Bem, há certamente uma abundância de opções disponíveis hoje em dia, como também preços acessíveis e diversidade de tamanho para os tablets.

Por Jaime Pargan

tablet ou smartphone

Foto: Divulgação


A tecnologia presente em nossos aparelhos eletrônicos, sejam smartphones, tablets ou notebooks, é melhorada a cada dia mais. Atualmente existem diversos tipos de displays disponíveis e é interessante conhecer alguns detalhes antes de comprar esse ou aquele dispositivo super-revolucionário.

A tecnologia AMOLED ficou conhecida no mundo inteiro graças à capacidade que esse tipo de display possui de se curvar, algo que gera uma série de possibilidades novas na criação de smartphones com design diferenciado. No entanto, as outras tecnologias utilizadas em displays atualmente também possuem suas particularidades. Você sabe diferenciá-las? Fique de olho nas dicas a seguir e entenda um pouco mais sobre o LCD, OLED e o famoso AMOLED, para não ficar perdido na hora da compra do seu novo smartphone ou tablet.

LCD – A tecnologia LCD é a mais “velhinha” das três, mas possui seus benefícios. Graças a ela hoje é possível termos displays com telas menos brilhantes, o que facilita a utilização de aparelhos em locais mais claros. No entanto, para que possa funcionar, uma tela LCD necessita de uma iluminação de suporte o tempo todo. Essa iluminação trabalha para que todas as cores possam ser formadas, inclusive o preto. Por isso, o LCD consome muita energia, bem mais que as outras tecnologias mais recentes.

OLED – Com essa tecnologia, não é necessária nenhuma iluminação de suporte, ou backlight como é comum dizer. No OLED, cada pixel se acende individualmente quando uma corrente elétrica os atravessa. Ou seja, a sua principal diferença é que ele possui luz própria e gera as suas próprias cores. Muito mais prático e econômico em relação às tecnologias mais antigas.

AMOLED – São uma evolução natural do OLED e possuem uma taxa de atualização muito melhor. Os displays com essa tecnologia possuem uma fina película de exibição onde alguns compostos orgânicos formam um material eletroluminescente que controla a função de cada pixel. Por isso, esse material é maleável e permite a sua utilização em smartphones e quaisquer aparelhos que possam fazer uma curvatura, por exemplo.

Por Ebenézer Carvalho


Milhares de pessoas reclamam da bateria do seu celular, pois alegam que a mesma acaba rápido e não permite um uso prolongado do mesmo. No entanto, algumas pequenas dicas podem ajudar na economia da carga da bateria, garantindo assim que o aparelho esteja sempre disponível para o uso.

Normalmente, os celulares possuem as mais variadas funções, tais como leitor de música, vídeo e imagem, redes sociais, bluetooh, wi-fi, widgets em geral, entre outros. Todos esses aplicativos consomem uma boa quantia de bateria, portanto é importante saber como usá-los.

O que pouca gente sabe é que em sua maioria, os aplicativos mesmo após de serem fechados, continuam sendo executados em segundo plano, consumindo assim a bateria de forma silenciosa, portanto é importante sempre conferir se algo ainda está sendo processado.

Manter o wi-fi ativado é o grande vilão da bateria, uma vez que o mesmo normalmente é o que mais consome carga, isso por que há uma procura constante por rede e isso força o uso da bateria. O ideal é deixar a função habilitada apenas na hora do uso, assim como o bluetooh.

No entanto, se mesmo com essas dicas, a sua bateria continuar caindo rapidamente, procure efetuar a troca e confira se resolverá o problema. Normalmente algumas baterias viciam por ficar carregando por muito tempo, ou então por defeitos de fábrica.

Por Gabriel Frigini Reis


Uma das novas funcionalidades que vieram junto do novo Android Ice Cream Sandwich é a opção de desbloqueio de tela através do reconhecimento facial. Este novo recurso utiliza a câmera frontal do dispositivo para identificar a face da pessoa que o está utilizando e, então, desbloquear o aparelho.

Porém, alguns problemas vêm acontecendo com o sistema de reconhecimento facial, sendo que uma pessoa parecida com você, ou até seu irmão gêmeo, pode burlar o sistema. Ou pior, se uma foto do dono do aparelho for colocada na frente dele, o reconhecimento irá acontecer da mesma forma, também burlando o sistema. É por isso que a Samsung resolveu adaptar a ferramenta e agora nos aparelhos da sul-coreana, para que haja reconhecimento, são necessárias algumas “piscadelas”.

De qualquer forma, se o reconhecimento facial não for eficaz, ainda é possível habilitar uma senha para desbloqueio manual, para evitar estresses em locais com baixa iluminação ou então luz excessiva, que também atrapalham a nova funcionalidade.

Para ativar a nova função, basta acessar um aparelho com Android 4.0 e ir ao menu “Segurança”, depois em “Bloqueio de tela” e, por fim, em “Desbloqueio facial”. Após isso, basta seguir as orientações que aparecerão na tela do aparelho para configurá-lo corretamente. 

Por Guilherme Marcon


Draw Something é um dos aplicativos mais baixados pelos usuários de smartphones com sistema iOS e Android.

O aplicativo consiste em uma espécie de jogo que parece muito com um clássico dos tabuleiros chamado "Imagem e Ação".

No jogo de tabuleiro, as pessoas sorteavam uma palavra e precisava desenhar ou fazer mímica para que sua equipe conseguisse adivinhar o que havia sido sorteado.

No aplicativo, funciona mais ou menos desta forma. O app sorteia uma palavra para a pessoa e ela precisa fazer o desenho correspondente.

Na versão para iOS o usuário pode disputar partidas com outros jogadores utilizando sua conexão com a internet. Para isso, é necessário criar uma conta no jogo. O jogador poderá convidar usuários do Facebook que também jogam o game para uma disputa.

O usuário, assim que entra em uma partida, precisa esperar que o outro jogador faça o desenho e mande para você, assim a sua tarefa será adivinhar o que está sendo desenhado e vice versa.

Como a nossa rede 3G não é muito boa por aqui, o recomendável é que se utilize uma conexão wireless para que o jogo fique mais rápido e divertido.


Com o aumento do acesso à internet através de celulares e smartphones, está cada vez maior a ameaça destes aparelhos por ataques de vírus.

Os ataques a celulares e smartphones mais frequentes são através de malwares e spywares, que atuam como um espião roubando senhas e informações confidenciais. Há também os vírus mais nocivos que podem desabilitar funções e até mesmo apagar dados como a agenda.

Para evitar esta dor de cabeça, assim como os computadores, existem também antivírus específicos para aparelhos móveis. Mas também é importante seguir algumas dicas para evitar contaminar o seu celular:

  • Evite baixar arquivos desconhecidos;
  • Evite utilizar redes abertas desconhecidas, seu aparelho fica exposto e suscetível a ataques;
  • Prefira utilizar a rede da sua operadora, paga-se por isso mas a segurança é bem maior.

Ninguém melhor que um hacker para passar informações importantes e seguras de como proteger seu celular inteligente de atualizações suspeitas, por exemplo.

Uma dica essencial é usar uma senha para bloquear o seu celular, fazendo com que o seu aparelho fique seguro de acesso de terceiros.

O dispositivo Bluetooth não é muito aconselhável, por manter sua os dados vulneráveis e acessíveis a todos, caso utilize prefira fazer ligações utilizando os fones de ouvidos. Todo link para efetuar downloads de novos aplicativos devem ser evitados, pois muitos são duvidosos.

Essas são algumas dicas iniciais para que você possa manter seus dados sigilosos.

Por Carla Caldeira


Os smartphones Android estão cada vez mais populares. Novos aparelhos são lançados a cada dia, e ninguém dúvida de que o sistema caminha para se tornar o mais usado mundo à fora. O sucesso é tão grande que muita gente já está trocando de aparelho pela segunda, terceira vez.

Esses usuários, que já são calejados do uso do Android se deparam com um probleminha quando compram um celular com Android e o ligam pela primeira vez. É que o sistema exibe um longo tutorial de utilização. Aliás, outros sistemas também fazem o mesmo, como o Windows Mobile, por exemplo.

Mas quem está acostumado com o Android não precisa passar por essa chateação. Existe uma maneria bem prática de pular a introdução. Quando ela começar, basta tocar em cada canto da tela na ordem correta, começando pelo canto superior esquerdo, depois o superior direito, o inferior direito e, finalmente, o inferior esquerdo.

Por Maximiliano da Rosa


A guerra entre os navegadores há muito tempo não se restringe aos PCs e chegou aos smartphones, em suas versões portáteis. Opera, Safari, Chrome, Firefox. O tempo todo as pessoas discutem qual deles é o melhor, mais seguro e mais rápido. Aliás, isso fica difícil dizer.

E na dúvida entre um e outro, por que não escolher uma alternativa menos conhecida. Dois exemplos são o Skyfire e o Dolphin.

O Skyfire, aliás, é um pouco mais conhecido, mas parece estar abandonando a briga, pois há notícias que a empresa responsável por ele deixará de dar suporte à versões para Windows Mobile e Symbian em diversos países, incluindo o Brasil.

Apenas a versão para Android continuará funcionando normalmente. Já o Dolphin tem versão apenas para o Android, e seu ponto fraco é não ter suporte ao Flash. Por outro lado, a navegação em abas é bem funcional.

Por Maximiliano da Rosa


Um dos problemas para usuários de plataformas móveis como netbooks e smartphones é a memória para gravar arquivos. No caso dos netbooks, a maioria não dispõe de um disco rígido. Alguns tem SSD, mas normalmente a capacidade de armazenamento é pequena, e é preciso apelar para outros meios, como cartões de memória e pen drives. Mas esses dispositivos também tem pouco espaço.

Outra possibilidade é usar serviços de armazenamento online, como o Dropbox e trabalhar com o recurso de sincronização de dados.

A novidade agora é que o serviço também poderá ser usado por proprietários de tablets e smartphones. Já estão disponíveis versões para iPad, iPhone e Android. E os desenvolvedores estão trabalhando numa versão para o Blackberry.

Com o fornecimento de uma API exclusiva, programadores poderão integrar seus aplicativos móveis e oferecer os recursos de backup, por exemplo, diretamente na interface do software.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Gizmodo


Quem nunca deixou cair um celular dentro da água? Quase todo mundo. E a primeira coisa que perguntamos quando isso acontece é: o que fazer? Jogar o telefone no lixo?

Em primeiro lugar, não ligue o aparelho. Se ele estiver ligado, desligue-o, retire a bateria a bateria e o chip. Seja rápido, muitas vezes os aparelhos são bem lacrados e pode demorar para a água entrar. Não tente secá-lo com o secador. Muito menos coloque-o no micro-ondas.

Se você não quiser fazer isso pode recorrer a soluções caseiras como colocar o aparelho dentro de uma panela coberto de arroz cru. Dizem que é batata. Quer dizer, arroz. Bem, você entendeu, não é?

Mais informações pode ser obtidas aqui.

Outra alternativa é recorrer ao Wet Cellular Phone Emergency Kit, ou kit de emergência para telefone celular molhado. Ele pode ser encontrado na internet e consiste de uma pequena bolsa contendo um material poroso. É só colocar o celular ali dentro, fechar e esperar pelo menos 24 horas.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Tech Guru


O computador é um recurso utilizado pela grande maioria da população brasileira, muitas pessoas o utilizam para trabalhar, estudar e se divertir, no entanto, esses aparelhos são muitas vezes invadidos pelos vírus, que circulam pela Internet. Porém o computador não é o alvo preferido dos vírus, os celulares também são.

Vírus se espalham pelos celulares através de mensagens de SMS e do dispositivo bluetooth, danificando o seu aparelho celular. Todavia não convém instalar um antivírus no seu aparelho celular, visto que os vírus atacam preferencialmente computadores, e quando o vírus quer “instalar-se” no celular, ele envia uma pergunta se você aceita o dispositivo.

Os vírus se tornaram pesadelo  para os computadores, esperamos que ele não se torne um pesadelo para os celulares também.

Por MS


Todos nós, ou pelo menos a maioria das pessoas precisam de duas coisas: praia e celular. No entanto essas duas coisas não podem andar lado a lado, lugar de celular não é na praia.

Claro que há pessoas que não podem ficar sem celular um dia, pois tem muitos compromissos, no entanto, na hora de levá-los á praia, devem tomar algumas precauções, como por exemplo trazer o aparelho dentro daquela capinha tipo “meia” , pois lá o aparelho fica protegido contra sol, poeira e maresia, elementos naturais da praia.

Aproveite o seu dia, descanse sem se esquecer de proteger o seu aparelho celular.

Por Mateus Silveira


Uma boa opção para quem precisa comprar um celular ou smartphone e está  com pouco dinheiro é comprar uma marca genérica de fabricação chinesa. Para se ter uma idéia é possível facilmente encontrar aparelhos com muitos recursos por menos de 100 reais, que por aqui custaria em média 5 vezes mais.

Sites de venda pela internet como o “Compre da China”, “MP Tudo”,  “Mpx”, “Mecado Livre”, “Que Barato”, “Toda Oferta” oferecem vários modelos fabricados na China. Alguns tem pronta entrega, outros importam diretamente. Nesse caso deve-se que a entrega pode levar até 45 dias.

Mas a questão é: vale apena investir nesse tipo de compra? Não  é preferível pagar mais caro e ter certeza de que se der algum problema você vai saber a quem recorrer? Devemos estar conscientes do que estamos fazendo. Comprar um aparelho Dual Chip, com câmera de 5 MP, tevê digital, tela sensível ao toque de marcas como Hiphone, Vaic, Eyo e várias outras pode ser interessante, mas também pode acabar numa tremenda dor de cabeça.

Na hora de decidir, devemos pesar os prós e os contras.

Por Maximiliano da Rosa


A Oi chegou em  São Paulo com o novo conceito de liberdade de escolha e simplicidade, e assim abalou o mercado de telecom com o desbloqueio de celulares. Agora é lei, todas as operadoras devem fazer o desbloqueio do aparelho ou minimodem.

É obrigatório que todas as operadoras desbloqueiem aparelhos com mais de 12 meses de contrato, caso aconteça algum desconforto o consumidor tem duas opções, pode denunciar a operadora ou pedir a ajuda da Oi, a empresa desbloqueia o celular para você de graça, basta levar a nota fiscal e documento de identidade.

Com o celular desbloqueado você é livre para aproveitar as promoções de qualquer operadora e tem muito mais vantagem. Além de poder colocar seu chip em qualquer outro celular, você pode utilizar um chip local quando for viajar e economizar seus créditos e ainda pode trocar de chip a hora que quiser para utilizar o melhor sinal de cobertura.

Vale a pena ser livre para escolher o melhor para você e também para o seu bolso, procure sua operadora e faça o desbloqueio de seu celular, é simples e fácil.





CONTINUE NAVEGANDO: