Na primeira metade do ano de 2013 o número de anúncios em dispositivos móveis teve um crescimento relativo. De acordo com um artigo público no jornal americano Washingtonpost, esse aumento foi cerca de 145%. Sinal de que grande parte das empresas tem investido e apostado cada vez mais nesse tipo de plataforma.

É bem verdade que muita gente não faz a mínima ideia do que são os tais anúncios mobile. Entretanto, é praticamente impossível alguém não ter visto um. Esses anúncios nada mais são do que aqueles banners que costumam aparecer enquanto usamos algum aplicativo em nosso smartphone. Esse tipo de publicidade que às vezes chega a ser irritante gera bilhões de dólares e tem tido uma taxa de crescimento bastante interessante.

Anuncios mobile

Foto: Divulgação

Para se ter ideia do sentido disso basta levar em consideração que em algumas nações desenvolvidas o acesso à internet por meio de smartphones e tablets já superam e muito os acessos feitos em desktops. E é exatamente esse tipo de anúncio que praticamente dá o sustento para os serviços online e a infinidade apps que temos a nossa disposição e que, claro, não estamos dispostos a pagar para usar. Querendo ou não acabamos pagando mesmo que indiretamente com os nossos olhos.

Tem muita gente por aí que não concorda com esse tipo de publicidade. Mas veja pelo lado bom: quanto mais esse setor crescer maior será a probabilidade de que surjam aplicativos, serviços e sites independentes que atuem gratuitamente para oferecer um conteúdo de qualidade, na maioria dos casos.

Por Denisson Soares


A IDC – International Data Corporation – divulgou recentemente um novo levantamento em termos de mercado para a área de mobile.

De acordo com as informações registradas pela empresa a plataforma Android registrou um considerável aumento em sua participação no mercado mundial levando em consideração o segundo trimestre de 2013 que foi o  período de tempo analisado. Em contrapartida o iPhone da Apple registrou uma sensível queda.

Para entender o crescimento em números o Android agora ocupa uma parcela de 79,3%. No mesmo período do ano passado  esses números eram de 69%. Já o iPhone registrou uma queda de 16% para 13,2%. Esses números são completamente justificáveis quando observamos que nos últimos três meses, isso segundo informações da IDC, foram distribuídos ao redor do mundo cerca de 187 milhões de aparelhos Android. O iPhone nesse mesmo tempo teve um distribuição de apenas 31,2 milhões de unidades.

Em uma nota oficial divulgada o chefe da equipe responsável pela pesquisa no setor móvel da IDC, Ramón Llamas, disse que a redução de mercado sofrida pelo iPhone se deu principalmente devido ao ciclo de lançamentos adotado pela empresa. Não é preciso nem lembrar que praticamente não houve nada novo depois do iPhone 5.

Por Denisson Soares





CONTINUE NAVEGANDO: