Desde o início do mês de março de 2014 a falha de segurança chamada de Heartbleed tem sido um dos principais assuntos comentados nos meios de comunicação focados em teor tecnológico. Entre as vítimas da falha estão grandes sites e uma variedade de dispositivos ao redor do mundo. Entre os que sofreram estão milhões de usuários de dispositivos Android.

A própria fabricante do sistema operacional móvel já havia alertado que os aparelhos que estavam rodando com base na versão 4.1.1 do sistema estavam sim vulneráveis a ataques do Heartbleed, que são capazes, entre outras coisas, de roubar senhas e acessar outras informações de caráter pessoal que estão contidas na memória do aparelho.

Recentemente uma empresa de análise forneceu ao jornal britânico The Guardian dados segundo os quais mais ou menos 50 milhões de dispositivos Android se encontram vulneráveis a invasão do Heartbleed.

Dos números levantados, cerca de 4 milhões estão apenas nos Estados Unidos. Mesmo assim, o Google não divulgou nenhum comunicado confirmando a informação. Entretanto, a empresa ressalta que o número de afetados ou possíveis vulneráveis seja “inferior a 10%” de todos os aparelhos que se encontram ativos ao redor do mundo.

Outra informação importante foi divulgada por pesquisadores da empresa de segurança Lookout Mobile, que fornece aos consumidores software antivírus para smartphones que tenham o Android. De acordo com o divulgado, algumas versões do Android 4.2.2 que chegaram a ser personalizadas pelas operadoras ou por alguns fabricantes de hardware também podem estar suscetíveis a falha de segurança.

Para não acabar ficando no prejuízo com os ataques dessa falha, é importante que os usuários de dispositivos móveis tomem alguns cuidados básicos importantes. Entre eles estar atendo aos comunicados divulgados pelas empresas a medida que os pontos vulneráveis sejam corrigidos.

Também é preciso alterar as senhas na hora certa. Ou seja, mude a mesma assim que receber a informação de que seu sistema está protegido. Quem altera antes pode até estar contribuindo e deixando sua senha mais fácil de ser acessada.

A empresa de segurança Lookout disponibiliza um app gratuito que indica que se seu sistema foi ou não afetado pelo bug. Para baixar o detector de Hearbleed clique aqui.

Por Denisson Soares


Apesar do recente lançamento do novo sistema operacional da Apple, o iOS 7, já foi descoberta uma grande vulnerabilidade nele: é possível acessar dados pessoais do usuário, como em e-mails, fotos e contas nas redes sociais, sem permissão, a partir da tela de bloqueio do aparelho.

A falha, detectada em vários modelos de iPad e iPhone, foi descoberta por um soldado espanhol e é simples de ser feita por qualquer usuário, bastando o invasor acessar a tela de bloqueio do aparelho, acionar o Centro de Controle (uma das grandes novidades do sistema operacional) e abrir o aplicativo de despertador.

Em seguida, é preciso segurar o botão “sleep” do aparelho. Porém, em vez de desligá-lo, cancele a atividade e pressione duas vezes o botão Home para acessar a tela de multitarefa.  A partir dali, é possível acessar a câmera e compartilhar fotos salvas no dispositivo, tendo, assim, acesso a contas de redes sociais e e-mail do dono do aparelho.

A Apple diz estar consciente o problema e, por conta disso, já prepara uma correção, que será a primeira atualização do sistema operacional lançado há poucos dias. 

Por Jorge Souza


Após ter sido alertada sobre um bug que expunha informações pessoais dos usuários, a Samsung se pronunciou sobre o problema. Através do site Android Central, um porta voz da fabricante sul-coreana revelou que todas as medidas sobre está ameaça estão sendo tomadas e a solução irá ser apresentada na próxima atualização.

Segundo o porta voz, está falha será resolvida o mais breve possível, e informou que a ameaça está presente em todos os aparelhos com processador Exynos e afeta principalmente os consumidores que baixaram e instalaram aplicativos que possuem fontes desconhecidas.

O bug consegue acesso ao aparelho através do aplicativo pirateado e passa o total controle de um smartphone para outro usuário, podendo até passar informações pessoais pra outros aparelhos.

No último final de semana foi descoberto que o Galaxy Note 2, o Galaxy S2 e o Galaxy S3 são corrompidos sem nenhum problema  e graças ao alto volume destes modelos, a Samsung  resolveu começar imediatamente as investigações e para encontrar algo que solucione este incomodo.

A codificação ainda não foi finalizada e para solucionar o problema, ao menos por enquanto, o desenvolvedor que descobriu o problema lançou um pacote com um aplicativo capaz de solucionar o problema. Por se tratar de um aplicativo não oficial, não há muita garantia sobre sua confiabilidade, mas vários consumidores estão instalando o app para poder ser prevenir deste problema.

Por Felipe Santos Bonfim


A Samsung confirmou nesta quarta-feira, dia 19 de dezembro de 2012, que existem falhas em alguns modelos de seus smartphones.

Este problema está nos processadores Exynos 4210 e 4412 nos modelos Galaxy Note, Galaxy SIII, Galaxy Note SII e Galaxy SII que permite o acesso a todas as áreas dos aparelhos por pessoas maliciosas.

Fonte: Magazineluiza.com

 

De acordo com comunicado feito pela empresa será liberada em breve uma atualização de software para corrigir este erro identificado que somente pode ser utilizado a partir do uso de fontes não oficiais da empresa.

Por Ana Camila Neves Morais


Recentemente, um desenvolvedor do fórum XDA Developers descobriu uma falha em alguns smartphones com Android da Samsung. Segundo ele, essa falha possibilita que aplicativos mal intencionados tenham acesso a informações pessoais dos usuários e é capaz de roubar fotos e até inutilizar o aparelho.

Segundo Alephzain, programador e membro do fórum XDA Developers, essa falha de segurança é encontrada no Galaxy S, Galaxy S2, Galaxy S3 e em alguns outros modelos. O programador informou que a grande preocupação é que há uma onda de infecções e até o momento ela não parece ter sido controlada.

Foi feito um mapeamento para saber quais são os aparelhos da Samsung que mais estão vulneráveis a esse problema de segurança, e ao que parece os celulares mais suscetíveis a isso são os que estão equipados com os processadores Exynos 4210e 4412, que por sinal, possuem códigos da própria fabricante sul-coreana.

Um outro participante do fórum XDA Developers, chamado supercurio, falou que a Samsung foi notificada sobre o assunto e a mesma já começou a fazer uma revisão interna em seus aparelhos. Até o momento, não ha previsão sobre quando a companhia irá lançar um pacote para corrigir a falha.

Caso haja a suspeita de que o seu aparelho tenha sido infectado, os membros do fórum aconselham que seja feito um rooting no smartphone.

Por Felipe Santos Bonfim





CONTINUE NAVEGANDO: