Novo vírus pretende roubar informações pessoais e dados bancários de usuários do WhatsApp



  

Aplicativo multiplataforma que permite a troca de mensagens pelo celular sem custo algum, o WhatsApp Messenger está disponível para diversos smarthphones (iPhone, BlackBerry, Android, entre outros). Além das mensagens básicas, é possível criar grupos, enviar mensagens com imagens, vídeos e áudio. 

Talvez, a popularização do WhatsApp deva-se não somente à sua gratuidade, mas ao seu leque de possibilidades simples e variadas. E, sendo um aplicativo que alcançou em 2013 milhões de usuários ativos, e bilhões de mensagens enviadas e recebidas por dia, não surpreende a ESET ter identificado uma nova ameaça que o utiliza como um "canal" para roubar informações pessoais e dados bancários.

Fornecedora global de segurança, a ESET visa proteger contra ameaças virais virtuais. Fundada em 1992, está situada em Bratislava (Eslováquia) e possui escritórios de coordenação em Londres, Praga, Cracóvia, São Paulo, México, etc, sendo a empresa líder em testes de detecção, pois foi a que obteve mais menções no setor.

Pesquisadores do laboratório ESET América Latina (o qual opera a partir de Bueno Aires, e busca responder a demanda local no que concerne à investigação e descoberta pró-ativa de ameaças virtuais) identificaram "Zeus", ameaça virtual popular que tem utilizado o sucesso do WhatsApp para disseminar um e-mail que simula uma mensagem de voz do aplicativo, bem como um arquivo comprimido na mensagem, intitulado "Missed-message.zip".

Assim que o descompacta, o usuário ativa um arquivo executável de mesmo nome. Ele é um dropper, arquivo aparentemente inofensivo, mas que descarrega outras ameaças. E, é por via dessas, que as informações dos usuários são absorvidas e manipuladas. Para mais detalhes sobre o processo, acesse aqui.

Vale recordar que esse é o segundo golpe utilizando o WhatsApp somente numa semana. O anterior prometia instalar o aplicativo em PCs, quando, na realidade, colocava um cavalo de tróia com o mesmo objetivo de "Zeus".





E o que fazer a respeito?

O ideal é evitar o download de arquivos não-confiáveis, provindos de desconhecidos; e possuir, é claro, um antivírus eficaz e eficiente.

Mantendo seus dados seguros e bem protegidos, não há ameaças a temer.

Por Juciane Santana

WhatsApp

Foto: Divulgação



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *