Prazo para implementação da rede 4G no Brasil foi prorrogado



  

Parece que a 4G vai demorar um pouco mais para chegar a São Paulo. Segundo o presidente da Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações, Jarbas Valente, todos os municípios de São Paulo só receberão o sinal 4G depois que o sinal analógico deixar de ser usado pelas prestadoras de TV. Isso porque o Ministério das Comunicações prorrogou de 2016 para 2018 o cronograma para o desligamento dos sinais analógicos. O que diminui as expectativas de quem adquiriu ou planeja adquirir um aparelho com conexão mais rápida.

O presidente da Anatel ainda afirmou que os centros urbanos agregam quase 75% da população, e que durante os próximos cinco anos não contará apenas com a 4G faixa LTE de 2.5 GHz, que foi leiloada ano passado. Essa faixa funciona em qualidade inferior a de 700 MHz, que atualmente é usada pelos canais de TV, do 52 ao 69 em UHF, de sinal analógico. O sinal de 700 MHz é usado em larga escala em diversos países do mundo, sobretudo para a internet, telefonia fixa e móvel. Com a privação dessa faixa, o Brasil perde em qualidade para os serviços prestados no restante do mundo.

Segundo a proposta, a implementação da internet 4G só será feita depois da mudança, pois falta espaço no campo radioelétrico para os serviços. Será feito um novo leilão com as prestadoras atuantes no país em que elas terão de arcar com os custos da migração de faixas, também ficará a cargo os das empresas, os custos do conversor para a população de baixa renda, além da cobertura de telefonia móvel em todo o território nacional.

De acordo com o estudo feito pela Anatel, pouco mais de 570 municípios terão os sinais de TV analógicos desligados e com a migração. Em 2014 a própria Agência fará um teste para verificar se é viável efetuar a mudança. 





Por Robson Quirino de Moraes

Rede 4G no Brasil

Foto: Divulgação



Compartilhar:

Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *